PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Contarato pede indenização de R$ 100 mil de Fakhoury por tuíte homofóbico

Fabiano Contarato pede indenização de R$ 100 mil por tuíte de Otávio Fakhoury - Diego Bresani - 14.mar.19/UOL
Fabiano Contarato pede indenização de R$ 100 mil por tuíte de Otávio Fakhoury Imagem: Diego Bresani - 14.mar.19/UOL

Do UOL, em São Paulo

28/10/2021 11h43Atualizada em 28/10/2021 19h22

Fabiano Contarato (Rede-ES), primeiro senador no Brasil a tornar público o fato de ser gay, acionou a Justiça pedindo uma indenização de R$ 100 mil por danos morais do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury por um tuíte dirigido ao congressista.

Fakhoury utilizou a rede social para ironizar, em 12 de maio deste ano, um erro gramatical do parlamentar capixaba e afirmar, em tom jocoso, que ele teria sido cativado pelo "perfume" de alguém.

No pedido, a defesa de Contarato diz que requer a indenização "tendo em vista a demonstração do alcance da ofensa" e 'o intuito exclusivo de promover discriminação".

"O requerido proferiu palavras ofensivas e homofóbicas, invadindo e expondo indevidamente a intimidade e a honra do autor", diz a petição inicial.

O texto ainda ressalta que, apesar de o senador "não ter receio de seu posicionamento em relação à sexualidade", "ninguém possui o direito de dar conotação à orientação sexual de uma pessoa como se fosse um fato negativo, abominável".

O caso, que tramita na 16ª Vara Cível de Brasília, ganhou notoriedade durante sessão da CPI da Covid, em setembro, quando Contarato sentou na cadeira da presidência da comissão e fez um desabafo antes do depoimento de Fakhoury, investigado pela comissão por fake news.

Antes de se dirigir a Fakhoury, Contarato exibiu na sala da Comissão Parlamentar de Inquérito a reprodução do tuíte. Reproduzindo um comentário em que o senador tinha escrito 'fragrância' em vez de flagrância, o empresário bolsonarista disse: "O delegado homossexual assumido [em referência ao senador] talvez estivesse pensando no perfume ali de alguma pessoa daquele plenário... Quem seria o perfumado que o cativou?".

Depois do discurso do senador capixaba, Otávio Fakhoury disse que a mensagem publicada no Twitter era uma brincadeira e pediu desculpas a Contarato e a outras pessoas que se sentiram ofendidas pelo tuíte.

Em nota, o advogado João Manssur, que representa o empresário Otávio Fakhoury, informa que aguardará a citação oficial para apresentar sua oportuna manifestação no órgão competente.

Política