PUBLICIDADE
Topo

Política

Criticado no G20, Bolsonaro cita árabes ao falar de apoio internacional

Imagem mostra o presidente Bolsonaro durante viagem ao Golfo Pérsico - Flickr/ Palácio do Planalto
Imagem mostra o presidente Bolsonaro durante viagem ao Golfo Pérsico Imagem: Flickr/ Palácio do Planalto

Do UOL, em São Paulo

24/11/2021 22h26

Criticado por isolamento político e falta de protagonismo durante evento do G20, grupo que reúne líderes das 20 maiores economias do mundo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) citou hoje sua viagem a países árabes —e a média diária do quarto de hotel onde ficou hospedado— para justificar suposto apoio internacional.

"Há dois ou três meses, nós concorremos a uma cadeira não permanente no Conselho de Segurança da ONU: 190 países votaram. 181 votou (sic) no meu candidato. Como é que eu tô mal? Nós estamos bem. O tratamento meu foi VIP, nos hotéis que eu fiquei [em viagem a países do Golfo Pérsico). A média diária: R$ 45 mil. Por que eu fique nesse quarto? Foi cortesia para mim e para toda a comitiva nossa", disse ele, durante entrevista ao canal ISTV, do Guarujá (SP), transmitida na noite de hoje. "Eles nos tratam dessa maneira. Há um interesse enorme por parte dos países árabes", acrescentou.

Em outubro, Bolsonaro recebeu críticas por ser um dos únicos líderes do G20 que não tinha reuniões previstas com outros mandatários, à exceção do presidente italiano Sergio Mattarella, anfitrião do evento que, pelo protocolo, deveria se encontrar com todos os líderes presentes em Roma.

Na sequência, sob forte pressão internacional por causa do aumento do desmatamento e das queimadas na Amazônia, Bolsonaro decidiu não ir à COP26, a Conferência do Clima, organizada pela ONU (Organização das Nações Unidas), em Glasgow, na Escócia, o que gerou críticas de outros países e de organizações ambientais.

O presidente brasileiro encerrou uma viagem de seis dias por três países. Além do Qatar, esteve também nos Emirados Árabes Unidos e no Bahrein, se encontrou com autoridades locais e empresários, além de ter visitado eventos como uma feira do setor aéreo e a Expo 2020, em Dubai —por lá, Bolsonaro se hospedou em um hotel cujas diárias podem chegar a até R$ 76 mil.

No mesmo período, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), virtual candidato às eleições no ano que vem, e rival de Bolsonaro, Lula, teve vasta agenda na Europa, onde visitou o Parlamento Europeu e foi recebido com honras de chefe de Estado pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

Inevitavelmente, houve comparações entre as duas viagens e a agenda política dos dois políticos.

Política