PUBLICIDADE
Topo

Política

É grave se for verdade, diz senador sobre ofensas a Alcolumbre

Colaboração para o UOL

24/11/2021 18h36

Em entrevista ao UOL News, o senador Esperidião Amin (PP-SC) falou sobre as supostas ofensas que o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), teria recebido por demorar a marcar a sabatina de André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Segundo ele, se a ofensa for verdadeira, é grave.

"Alcolumbre nos deve indicar quem que fez essa acusação ou ilação que o fez se sentir ofendido. É muito grave se for verdadeira, se for inventada é apenas um escudo. Ele continua nos devendo informar quem foi a pessoa, qual o meio utilizado para atribuir o descumprimento do regimento, que ele está praticando, um viés religioso.

O senador falou ainda que, para ele, esse acontecimento "é uma fantasia", mas na hipótese de ser verdadeira, é solidário.

"Queremos saber foi que constrangeu o senhor Davi Alcolumbre, queremos saber quem é esse vilão para que não fique apenas uma poeira no ar. É uma acusação muito grave", acrescentou.

Sem citar nomes, Alcolumbre afirmou hoje que alguns críticos atribuíram a demora a supostas divergências religiosas, uma vez que ele é judeu e Mendonça, evangélico.

O ex-presidente do Senado disse também que, além de Mendonça, nove autoridades indicadas para cargos públicos aguardam deliberação na CCJ. Paralelamente, outros seis nomes já sabatinados ainda esperam votação em plenário.

Política