PUBLICIDADE
Topo

Política

Pacheco: Amor ao Brasil não é usar camisa da CBF e xingar STF e Congresso

Do UOL, em São Paulo

24/11/2021 15h20

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), falou hoje durante o encontro nacional do partido. Em tom eleitoral, ele fez um discurso com críticas veladas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e se declarou a serviço do partido e do Brasil nas eleições de 2022.

Pacheco afirmou que "amor ao Brasil não é só colocar uma camisa da seleção e sair xingando o STF, o Congresso Nacional e a política brasileira". A camisa do time nacional é usada por apoiadores do presidente em manifestações a favor do presidente, que teve embates sucessivos com o Supremo e o Legislativo.

Ele também disse que o uso indiscriminado dos meios de comunicação para atacar o outro "não é fazer política", e que "não se faz desenvolvimento trazendo para a discussão valores morais, ideológicos, religiosos e de costumes".

O senador não se declarou abertamente candidato, mas disse que o país precisa de alternativas para que o Brasil possa se tornar uma "grande nação". "O que devo dizer é que, convocado a essa missão de servir ao PSD, eu o faço na condição de presidente do Senado, do Congresso Nacional, e em relação às eleições de 2022, estarei de corpo, alma, mente e coração a serviço do partido e do Brasil".

Em outubro, quando se filiou ao partido, Pacheco já havia feito um pronunciamento com tom de campanha. Na ocasião, o dirigente da sigla, Gilberto Kassab, afirmou que o presidente do Congresso seria o candidato do PSD nas eleições presidenciais e recebeu aplausos dos presentes.

Política