PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Ex-ministro da Educação elogia Moro e critica Bolsonaro: 'Perdeu o rumo'

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ao empossar Ricardo Vélez Rodriguez como ministro da Educação, no Palácio do Planalto, em 2019 - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro (PL) ao empossar Ricardo Vélez Rodriguez como ministro da Educação, no Palácio do Planalto, em 2019 Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

24/01/2022 09h56Atualizada em 24/01/2022 10h16

O ex-ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro (PL) Ricardo Vélez Rodriguez escreveu em seu blog que o atual mandatário "perdeu o rumo" em meio às críticas contra a gestão atual. Vélez também declarou no texto o seu apoio à candidatura do ex-ministro da justiça, também do governo Bolsonaro, Sergio Moro (Podemos).

As críticas de Vélez acontecem poucos dias após o Abraham Weintraub, também ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro, reclamar que tenta contato há mais de um ano com o chefe do Executivo Federal, mas ele tem ignorado suas tentativas de manter algum tipo de conversa. Bolsonaro demitiu Vélez e nomeou Weintraub para o cargo de ministro da Educação em abril de 2019.

"Bolsonaro, que apresentou uma proposta desvinculada das antigas negociatas, iniciou um governo de inspiração liberal-conservadora, que daria continuidade à moralização da política, apoiando a Lava-Jato e respeitando o teto de gastos", começou Vélez.

E continuou: "Mas, infelizmente, pelo fato de não ter fixado de forma clara, na sua rota de navegação, os objetivos nacionais que não poderiam ser abandonados, terminou perdendo o rumo no meio à saraivada de críticas infames de uma oposição radical e de uma imprensa que abandonou a sua missão de informar e não inflamar".

Para Vélez, que atuou apenas três meses na Educação, a razão do "bolsonarismo atual parece ser a de salve-se o chefe como puder, "mesmo à custa do abandono da sua pauta de reformas, de controle sobre o gasto público, de manutenção da Lava Jato, de intolerância para com a corrupção, em aras de uma sobrevivência garantida pelos acordos espúrios com o Centrão".

"Lamentável finale para um governo que acendeu esperanças como alternativa diferente do ensimesmamento petista", disparou o ex-membro do governo.

O ex-ministro ainda explicou que saiu do governo quando percebeu que não conseguiria "dar continuidade ao programa traçado de limpar a educação da manipulação da esquerda sindical".

Elogio a Moro

Vélez aproveitou para elogiar e prestar apoio à candidatura de Moro. Para o ex-ministro da educação, as pautas de Moro "são as que mais claramente têm indicado um possível caminho para sairmos do emaranhado de problemas com que o Brasil se defronta".

"Continuarei a analisar as propostas de Moro para outros terrenos das nossas políticas públicas, como o econômico, o da reforma da justiça, o da reforma política, o da segurança pública e combate ao crime organizado, o estratégico, o científico e tecnológico, etc., na medida em que forem sendo apresentados os planos do pré-candidato."

Apesar dos elogios ao ex-colega de governo, Vélez explicou que irá analisar "outras propostas de candidatos que enveredem pelo caminho civilizado de discutir com a sociedade os seus pontos programáticos".

Política