PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Ipespe: Desempenho de Lula surpreende, mas Bolsonaro deve ir ao 2º turno

Colaboração para o UOL

28/01/2022 08h54Atualizada em 08/02/2022 13h55

Na avaliação do presidente do Conselho Científico do Ipespe, Antonio Lavareda, o desempenho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa pela Presidência é "surpreendente". Mas, para ele, Jair Bolsonaro (PL) deve ir ao segundo turno e rivalizar com o petista.

"Quando você tem incumbente candidato [candidato à reeleição], ele está naturalmente fadado a estar no 2º turno. A eleição, quando conta com o incumbente, é sobre o desempenho do governo dele", disse à Carta Capital. "É natural que ele tenha uma expressão eleitoral significativa. Agora, ele está a 10 pontos do desempenho do 1º turno que ele teve em 2018. Ele perdeu basicamente 30% de seus votos, em saldo líquido."

Porém, Lavareda ressalta que o espaço para crescimento de Lula é demonstrado pela diferença de nove pontos percentuais entre o desempenho do petista na pesquisa estimulada (quando os nomes são citados) e na espontânea. "A campanha dele precisa adensar essa preferência para ele perder o mínimo possível das intenções de voto."

Lula na liderança

Lula segue na liderança na corrida presidencial das eleições de 2022 e registrou 44% das intenções de voto, contra 24% de Bolsonaro, que aparece em segundo lugar, de acordo com cenário estimulado para o primeiro turno da pesquisa Ipespe divulgada ontem sob encomenda da XP.

Na terceira posição, aparecem empatados com 8% o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Como a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, eles estão tecnicamente empatados com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que tem 2%.

No cenário sem a presença de Moro, Lula aparece com 44%, enquanto os demais candidatos somados têm 43%. Dentro da margem de erro, porém, não é possível dizer que Lula venceria no primeiro turno.

A pesquisa XP/Ipespe foi realizada entre os dias 24 e 25 de janeiro e ouviu mil pessoas com 16 anos ou mais em todas as regiões do país. A coleta das opiniões foi feita por telefone, e a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com índice de confiança de 95,5%. O levantamento foi registrado junto à Justiça Eleitoral sob o protocolo BR-06408/2022.

Moro frustra apoiadores

Para Antonio Lavareda, Moro deve frustrar os apoiadores com o crescimento registrado até agora após a filiação ao Podemos e lançamento de pré-candidatura. "Mas é preciso lembrar que a temática básica de Moro, na cabeça do público, é a de combate à corrupção, a essa coisa da Lava Jato". O cientista política destaca que uma aliança com o União Brasil alavancaria o nome do ex-juiz.

O presidente do Ipespe analisa que Ciro sofreu primeiramente um revés com a chegada de Lula, e, depois, com a entrada de Moro na disputa. "Então, o Ciro declina. Tinha 11% até outubro, vem Sergio Moro, que vai para 11% e Ciro vai para 9%. Em dezembro e início de janeiro, Ciro cai mais, vai para 7%. O lançamento recente [da pré-candidatura] lhe aportou um ponto e encontrou o declínio de Moro."

"Um analista mais atento vai ficar com torcicolo", completa Lavareda sobre Ciro.

Política