PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Luciano Hang processa Lucas, da Fresno, e quer indenização de R$ 100 mil

Empresário Luciano Hang processa vocalista da banda Fresno - EDUARDO MATYSIAK/ESTADÃO CONTEÚDO
Empresário Luciano Hang processa vocalista da banda Fresno Imagem: EDUARDO MATYSIAK/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

18/05/2022 18h02

Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, processou Lucas Silveira, vocalista da banda Fresno, por danos morais e deseja ser indenizado em R$ 100 mil. A defesa do empresário argumentou à Justiça de Santa Catarina que Hang foi ofendido publicamente.

"O cantor publicou em sua conta pessoal na rede social Twitter xingamentos diretos ao empresário, chamando-lhe de 'véio fdp' e 'maior paunoku da história desse país', o que claramente violou o nome, a honra e a imagem de Luciano perante a sociedade", disse a assessoria da Havan ao UOL.

Na rede social, o músico repercutiu uma notícia sobre o processo e escreveu: "Quer prova maior de que o emo voltou?". O cantor foi apoiado pela deputada federal Sâmia Bomfim e pela vereadora Erika Hilton, ambas do PSOL por São Paulo.

"Toda minha solidariedade ao Lucas, vocalista da banda Fresno, que está sendo processado pelo Luciano Hang, o papagaio de pirata do Bolsonaro, por um tweet que fez nesta rede social", disse Sâmia.

"O Brasil sabe quem é esse caloteiro, 'Véio da Havan'. O cara que ameaçou funcionários de demissão durante a pandemia para que protestassem contra o lockdown. O 'patriota' que dá calote de centenas de milhões de reais em impostos", repercutiu Erika.

Lucas Silveira é opositor do governo de Jair Bolsonaro (PL), ao qual Hang é fortemente alinhado. Durante o show da banda no Lollapalooza em março deste ano, pouco dias depois do tweet sobre o dono da Havan, o vocalista puxou um coro de "Fora Bolsonaro".

Além disso, o grupo musical escreveu a mensagem contra o presidente no telão do palco. O posicionamento da Fresno ocorreu enquanto uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) tentava censurar manifestações políticas no festival de música. A ação foi removida pelo próprio partido que a pediu, o PL.

Política