PUBLICIDADE
Topo

Política

Lula entrou na cerimônia com neto; Janja, sozinha: saiba detalhes da festa

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

19/05/2022 15h17Atualizada em 19/05/2022 18h00

Diferentemente da tradição dos casamentos, o ex-presidente Lula e a socióloga Rosângela Silva, a Janja, não tiveram padrinhos. Os dois formalizaram a união na noite de quarta-feira (18), em uma casa de festas no Brooklin, zona sul de São Paulo. Os protocolos da cerimônia começaram com a entrada do petista até o altar.

Lula entrou ao lado de um neto. Eles usavam o terno na mesma cor, azul, e uma lapela com rosas vermelhas. Em seguida, entraram duas meninas como floristas —uma delas, neta do ex-presidente.

A entrada da noiva não contou com a marcha nupcial e Janja optou por atravessar o salão sozinha. A socióloga usou um vestido assinado pela estilista Helô Rocha, com bordados feitos por moradoras de Timbaúba dos Batistas, uma cidade da região do Seridó, no sertão do Rio Grande do Norte, conforme Universa adiantou.

Janja, Lula e as crianças que participaram da cerimônia; o neto entrou com o noivo - Ricardo Stuckert/Divulgação - Ricardo Stuckert/Divulgação
Janja, Lula e as crianças que participaram da cerimônia; o neto entrou com o noivo
Imagem: Ricardo Stuckert/Divulgação

O convite

Os convidados descobriram o local da festa horas antes do início da cerimônia —o convite não tinha essa informação, apenas o horário e um QRCode. Segundo a reportagem apurou, o endereço só foi liberado às 13h13 da quarta-feira.

Ao todo, foram convidadas 200 pessoas. Alguns nomes como Chico Buarque, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e Ludmilla não compareceram por conflitos na agenda. Aloisio Mercadante (PT), ex-ministro de Lula, não foi por estar com covid-19.

Tanto a cerimônia como a festa foram organizadas pela assessoria Juliana Fontolan. Ainda de acordo com a apuração do UOL, foram cerca de 15 reuniões até o dia do casamento.

Lula chegou ao local às 18h25, em um carro preto e com vidros escuros. Janja, às 19h27.

A cerimônia

A celebração foi conduzida pelo bispo emérito de Blumenau (SC), dom Angélico Sândalo, que conhece Lula desde a década de 1970. Foi uma cerimônia curta, com cerca de 30 minutos. Os noivos se emocionaram e choraram. Os dois fizeram apenas os votos religiosos e não houve discurso pessoal.

Segundo o escritor Fernando Morais —o primeiro convidado a deixar o evento—, dom Angélico afirmou durante a homília que apenas corações apaixonados poderiam salvar o mundo de situações enfrentadas atualmente, como a guerra, a fome e o frio.

Lula, Janja e dom Angélico no casamento realizado na quarta-feira (18), em um buffet na zona sul de São Paulo - Ricardo Stuckert/Divulgação - Ricardo Stuckert/Divulgação
Lula, Janja e dom Angélico no casamento realizado na quarta-feira (18), em um buffet na zona sul de São Paulo
Imagem: Ricardo Stuckert/Divulgação

O mesmo neto que entrou com Lula levou as alianças até o altar. Os anéis foram colocados em um bastidor, parecido com a lembrancinha entregue aos convidados.

A reportagem apurou que o petista entrou ao som de "Espere por mim, morena", enquanto Janja escolheu "Ave Maria". As músicas foram cantadas por Rogéria Holtz. A saída dos noivos foi embalada por "Mais feliz", de Zeca Pagodinho.

A decoração seguiu o rústico chique e a paleta escolhida foi de cores quentes. Convidados ouvidos pela reportagem afirmaram que havia decoração aérea no espaço reservado para a cerimônia —"tudo com muito bom gosto".

A festa

A previsão de encerramento da festa era 3h30, mas os últimos convidados saíram pouco antes desse horário. O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT); a esposa dele, Ana Estela; e o comediante Paulo Vieira foram alguns dos últimos a deixarem o local.

Vieira chegou a publicar um vídeo nas redes sociais mostrando que saiu do local com uma caixa recheada de doces oferecidos no casamento. Ele também escreveu que sua namorada chamou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para dançar na pista. A petista, porém, foi embora cedo.

Ana Estela Haddad faz aniversário nesta quinta-feira (19) e ganhou um "parabéns pra você" ao lado de outros convidados na madrugada. O UOL ouviu do lado de fora a cantoria e os aplausos.

Os noivos ofereceram aos convidados duas ilhas de comida. O cardápio era diverso com carne vermelha, frutos do mar e massas. Também havia um coquetel volante —mini porções servidas pelos garçons para os convidados em pé.

Um bar de caipirinha foi colocado à disposição para os convidados. Também foram servidos sucos, refrigerante, água e cerveja. Convidados informaram que não havia "rótulos absurdamente caros". O whisky era Johnnie Walker Black Label —uma garrafa custa, em média, R$ 120.

Na parte dos doces, havia o mais tradicional dos casamentos, o camafeu, mas os noivos ousaram ao trocar o bem-casado pelo bolo de rolo. Também foram servidos doce de paçoca e quebra-queixo.

Uma ilha com frutas e outras sobremesas também foi montada no meio da festa. Carambolas, pitaias, mousse de chocolate, sorvete de paçoca e cocada de forno são alguns dos itens que foram incluídos.

O bolo branco de quatro andares foi escolhido a dedo por Janja. O quitute tinha as iniciais dos noivos e era comestível apenas na parte superior.

Janja e Lula cortam o bolo de quatro andares, escolhido por ela - Ricardo Sutckert/Divulgação - Ricardo Sutckert/Divulgação
Janja e Lula cortam o bolo de quatro andares, escolhido por ela
Imagem: Ricardo Sutckert/Divulgação

A festa começou com um show da cantora Rogéria Holtz. Depois, foi a vez de uma DJ. A setlist foi de funk a samba.

Também foi exibido o novo clipe de "Sem Medo de Ser Feliz", o "presente" de Janja a Lula, como ela anunciou no lançamento da pré-candidatura do marido à presidência da República.

Nordeste

A troca do bem-casado pelo bolo de rolo é só um dos exemplos das referência ao Nordeste que apareceram no casamento. O bolo de quatro andares teve detalhes de flores de mandacaru e um cacto em forma de palma. Até bordados no vestido da noiva tinham este último formato.

O arroz com carne seca, servido aos convidados, foi mais uma menção para região. Segundo convidados, os doces tinham pequenos confeitos que imitavam cactos.

Política