PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Ribeiro costumava citar Bolsonaro para ter credibilidade, justifica defesa

Colaboração para o UOL

01/07/2022 19h04Atualizada em 01/07/2022 19h07

O advogado Daniel Bialski, que representa o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, disse, em entrevista ao UOL News hoje, que o pastor costumava citar o presidente Jair Bolsonaro (PL) para obter credibilidade com familiares após os recentes escândalos envolvendo a pasta e a ligação com pastores.

Segundo Bialski, essa foi a explicação que Ribeiro deu após ser divulgado um áudio em que o ex-ministro diz a uma filha que Bolsonaro o alertou sobre uma possível busca e apreensão da PF (Polícia Federal), o que acabou ocorrendo mais tarde.

"Depois de tudo que aconteceu, esse escândalo envolvendo o nome dele, se teria ou não favorecido alguém, a família dele ficou muito preocupada e tirou um pouco o crédito que ele tinha. A credibilidade dele perante a família foi abalada, e ele, algumas vezes, usou o nome do presidente para falar para família: 'pode me acontecer isso, aquilo'", afirmou o advogado, para indicar que não teria ocorrido uma interferência de Bolsonaro na PF para privilegiar o ex-ministro.

De acordo com transcrição divulgada pela GloboNews e obtida pelo UOL, a conversa de Milton Ribeiro se deu com a filha. O ex-ministro diz que recebeu informações de Jair Bolsonaro sobre uma possível operação:

  • Ministro para a filha: "A única coisa meio... hoje o presidente me ligou... ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?"
  • Filha pergunta: "Ele quer que você pare de mandar mensagens?"
  • Ministro responde: "Não! Não é isso... ele acha que vão fazer uma busca e apreensão... em casa... sabe... é... é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios, né?"

"O ex-ministro está de consciência tranquila, sabe que não cometeu crime, não tem no inquérito ninguém que diga que foi beneficiado por interferência dele, seja pessoa física ou jurídica", ressalta Daniel Bialski.

Ribeiro vendeu carro na 'maior inocência'

Durante a entrevista, o advogado Daniel Bialski ainda minimizou a venda de um carro da esposa do ex-ministro Milton Ribeiro à filha do pastor Arilton Moura, suspeito na operação que investiga supostos desvios de verba no Ministério da Educação.

"Um familiar de um dos pastores capota o carro com a família dele. O ministro estava com o carro da esposa à venda numa loja, e diz que está vendendo o carro na maior inocência do mundo", afirma.

Em entrevista à GloboNews em 23 de junho, o advogado disse que o carro foi negociado a R$ 60 mil. Os R$ 10 mil restantes foram entregues de outra forma, que Bialski não detalhou.

Documento do Ministério Público Federal obtido pelo UOL mostra que o carro vendido pela esposa de Milton Ribeiro era um Kia Sportage EX2 2015/2016. De acordo com a tabela Fipe, o valor de referência desse automóvel em fevereiro, mês em que aconteceu a negociação, era de R$ 92 mil. Logo, a família Ribeiro teria vendido o carro por R$ 30 mil a menos que o preço de mercado.

À época, a reportagem entrou em contato com Bialski, que afirmou que "ninguém vende carro pelo valor da tabela Fipe". Ele disse também não saber qual era o estado do automóvel, se havia multas ou impostos pendentes, mas que iria verificar os detalhes com o ex-ministro.

Política