Topo

Conteúdo publicado há
11 meses

Governo Lula não vai pagar por verificação no Twitter, diz Secom

21.mar.2023 - Presidente Lula durante cerimônia no Palácio do Planalto - 21.mar.2023 - Adriano Machado/Reuters
21.mar.2023 - Presidente Lula durante cerimônia no Palácio do Planalto Imagem: 21.mar.2023 - Adriano Machado/Reuters

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

31/03/2023 19h36

Os perfis do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e dos ministérios receberão o selo cinza de verificação no Twitter, que não é pago, disse a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República ao UOL.

Twitter removerá verificação de quem não pagar

O serviço de assinatura custará R$ 42. Segundo a empresa, quem aderir terá poderá ver menos anúncios, fazer publicações com mais de 240 caracteres, ganhar destaque na linha do tempo, editar tweets e acessar ferramentas de segurança exclusivas.

Nos aplicativos de celular, a assinatura sai mais cara, R$ 60 mensais, por causa da comissão cobrada pelas lojas App Store e Google Play. Pelo computador, além do plano mensal, os usuários podem optar pelo anual, que sai por R$ 440, um desconto de 12%.

O Twitter Blue chegou ao Brasil no início deste mês. Nos EUA, o lançamento foi no início de novembro e levou a uma onda de contas falsas, que poderiam pagar pelo selo e se passar por oficiais. O programa é uma das principais apostas de Elon Musk para equilibrar as contas da companhia.

Casa Branca também não vai pagar

Mais cedo, a equipe do presidente dos EUA, Joe Biden, havia anunciado internamente que também não pagaria para manter o selo de verificação azul.

A partir de amanhã (1), a plataforma removerá o status de verificação de todos que receberam o selo de forma gratuita pela antiga administração, mas que não aderiram ao programa de verificação paga, Twitter Blue.