Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

PF achou plano de golpe em celular de ex-ajudante de Bolsonaro

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

07/06/2023 13h01Atualizada em 21/06/2023 11h30

A Polícia Federal encontrou no celular de Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL), uma minuta golpista e "estudos" para dar suporte a um eventual golpe de Estado. As informações foram divulgadas hoje pela GloboNews e o jornal O Globo, e confirmadas pelo UOL.

O que aconteceu

No celular de Mauro Cid, foi identificada uma minuta para a decretação de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), que permite ao presidente da República convocar as Forças Armadas em situações de perturbação da ordem.

A perícia não encontrou provas de que o material foi encaminhado a Bolsonaro pelo celular, segundo a GloboNews. Os documentos estavam em mensagens trocadas entre Cid e o sargento Luis Marcos dos Reis, preso na operação que investiga fraude nos cartões de vacinação de Bolsonaro e de sua filha.

Além da minuta do golpe, Cid e Reis também discutiam como convencer autoridades do Exército a aderir ou colaborar com a GLO.

Cid esteve na sede da PF em Brasília na terça-feira (6) para depor sobre os documentos encontrados pela PF em seu celular. O UOL apurou que o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro se recusou a falar.

No despacho que autoriza a oitiva, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, afirma que Cid "reuniu documentos com o objetivo de obter suporte jurídico e legal para a execução de um golpe de estado".

A PF investiga se auxiliares de Bolsonaro tinham plano de editar um decreto de Garantia da Lei e da Ordem e, depois, a minuta golpista encontrada na casa de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça. Segundo a GloboNews, interlocutores de Cid, identificados na perícia do celular, estão na mira agora da apuração da PF, mas alguns nomes ainda são mantidos sob sigilo absoluto, pelo cargo de destaque que ocupavam no governo passado.