Bolsonaro e Michelle pedem ao STF acesso aos depoimentos de Mauro Cid

As defesas do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro pediram ao ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), acesso aos depoimentos prestados ontem (31) à PF no inquérito das joias, incluindo o do ex-ajudante de ordens Mauro Cid. A solicitação foi apresentada hoje.

O que diz a defesa

O pedido se baseia em decisão de Moraes, que no último dia 15 de agosto liberou acesso à defesa de Bolsonaro aos autos da investigação. Segundo os advogados, a medida deve se estender às novas oitivas prestadas ontem à PF.

"Diante do significativo progresso nas investigações, notadamente com a obtenção de depoimentos cruciais ocorridos ontem, requer-se a autorização para a atualização dos autos, permitindo o acesso integral aos termos de declarações relativos às oitivas realizadas em 31 de agosto de 2023", afirmam os advogados Paulo Cunha Bueno, Daniel Tesser e Fabio Wajngarten.

Colaboração de Cid

Mauro Cid foi preso preventivamente em maio em uma investigação sobre fraude em cartões de vacina. Próximo do ex-presidente, o militar é alvo de outras apurações, como a suspeita de desvio e venda de joias recebidas pela presidência na gestão Bolsonaro.

Ontem, Cid prestou um novo depoimento à Polícia Federal. A oitiva seria paralela à do ex-presidente e da ex-primeira-dama, que optaram por ficar em silêncio. O ex-ajudante de ordens, no entanto, falou com os investigadores e está colaborando, segundo o UOL apurou com fontes próximas ao caso.

Na sexta-feira passada, Cid compareceu à PF para depor, assim como na segunda-feira (28), ocasião em que permaneceu por dez horas na sede da corporação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora