Conteúdo publicado há 8 meses

Aliado de Bolsonaro, deputado propõe 'Dia da Facada Nunca Mais'

O deputado federal Hélio Lopes (PL-RJ), aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), propôs a criação do "Dia da Facada Nunca Mais" na data que o ex-chefe do Executivo foi atacado em um ato de campanha, em 2018.

O que aconteceu

Hélio Lopes diz que data vai conscientizar sobre importância do respeito à integridade de políticos. O deputado propõe que sejam realizadas na data de 6 de setembro atividades educativas, campanhas, palestras, debates, seminários e oficinas sobre o fortalecimento da democracia e o combate à violência política.

O parlamentar citou os ataques a Bolsonaro e Carlos Lacerda, além do assassinato de Celso Daniel. "É indispensável que o Congresso Nacional reconheça a importância do tema e estabeleça um dia voltado para fomentar o debate e o conhecimento histórico dos acontecimentos violentos ocorridos na política brasileira", afirmou Lopes na justificativa do projeto de lei.

Bolsonaro levou facada em Juiz de Fora

Então candidato a presidente, em 2018, Bolsonaro levou uma facada na barriga durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

Desde o ataque, a PF já abriu ao menos dois inquéritos para apurar como se deu o crime, especialmente com a tentativa de encontrar o mandante da ação cometida pelo pedreiro Adélio Bispo.

No primeiro, não foi encontrado nenhum indício de que Adélio tenha agido a mando de outra pessoa ou grupo. O segundo também concluiu que o autor da facada agiu sem a participação de "agremiações partidárias, facções criminosas, grupos terroristas ou mesmo paramilitares em qualquer das fases do crime (cogitação, preparação e execução)".

Adélio foi absolvido pela Justiça do ataque contra Bolsonaro por ser considerado inimputável, ou seja, incapaz de responder pelos atos que praticou, em junho de 2019.

Deixe seu comentário

Só para assinantes