Conteúdo publicado há 2 meses

Lira cobra 'amparo urgente do governo federal' em Maceió por risco em mina

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), cobrou "amparo urgente do governo federal" em Maceió (AL) por causa do risco de colapso de uma mina explorada pela Braskem.

O que aconteceu

Lira citou "grave crise ambiental, humana e estrutural em Maceió". "Solicitei aos órgãos responsáveis a viabilização de recursos e a edição de medida provisória que garantam à prefeitura de Maceió condições de atendimento aos moradores atingidos e de empreender ações para combater o problema gerado pela exploração do sal-gema", escreveu no X (antigo Twitter).

Investimentos federais. Mais tarde, o presidente da Câmara também afirmou a jornalistas que pediu ao presidente em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), a edição de uma Medida Provisória para levar investimentos federais a Maceió.

Moradias populares. Lira destacou ainda que o Ministério das Cidades já assegurou a construção de 2,3 mil casas e moradias populares na capital.

Área ao redor de mina afunda 1 cm por hora

A Defesa Civil de Maceió informou na tarde de hoje (1º) que a área ao redor da mina 18 da Braskem está afundando em uma velocidade de 1 cm por hora. No fim da manhã, o índice era de 2,6 cm/hora — e o deslocamento vertical acumulado, de 1,42 m. Em nota, o órgão afirmou estar em "alerta máximo".

Continua após a publicidade

Os dados são atualizados em tempo real, explicou o geólogo Eduardo Bontempo, da Defesa Civil de Maceió, em entrevista ao UOL News. "Posso afirmar que é um case único no mundo esses cinco bairros atingidos pela mineração", destacou.

A Braskem informou, em nota, que trabalha com dois cenários possíveis para resolver o problema. A empresa prevê uma "acomodação gradual até a estabilização" ou uma "possível acomodação abrupta" — ou seja, um colapso.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes