Conteúdo publicado há 1 mês

Zambelli é intimada pelo STF no plenário da Câmara e reage: 'Presentinho'

O Supremo Tribunal Federal intimou a deputada Carla Zambelli (PL-SP), dentro do plenário da Câmara dos Deputados, a prestar esclarecimentos na ação em que ela é ré por porte ilegal de arma de fogo.

O que aconteceu

Zambelli esclareceu que liberou a entrada de uma oficial de Justiça da Corte ao plenário. Ela explicou que a oficial havia tentado entregar a intimação em seu endereço e no gabinete, mas ela não estava presente. "Fiquei sabendo que tinha uma oficial de Justiça na porta do plenário, pedi para entrar para eu não ter que sair porque ia ter votação nominal em poucos instantes", disse a parlamentar em um vídeo publicado nas redes sociais, na noite de hoje.

A deputada classificou a intimação como um "presentinho" do STF. Ela disse ainda que achou "estranho" o documento ser entregue um dia depois da entrevista coletiva em que falou sobre o impeachment do presidente Lula (PT). "Só é estranho que seja um dia depois do impeachment", disse.

Um vídeo publicado pela própria parlamentar mostra o momento em que ela assina a intimação. Ao lado de outros deputados, Zambelli comenta: "Um dia depois do impeachment. Coincidência. Será coincidência? Tá aqui o presentinho do STF", disse.

Carla Zambelli tornou-se ré em agosto de 2023, em relação a um incidente ocorrido em outubro do ano anterior. Por maioria de votos, o STF entendeu que a denúncia apresenta elementos suficientes para a abertura de ação penal.

Na terça-feira (20), o plenário do Tribunal Superior Eleitoral multou a deputada, por unanimidade, em R$ 30 mil. Ela foi multada por divulgar notícias falsas sobre o processo eleitoral e o aplicativo e-Título. "Ontem foi o TSE, hoje foi o STF. Amanhã eu espero que não seja a Polícia Federal às 6 horas da manhã na minha casa, mas se for, significa que eles estão bastante incomodados. Estão bastante incomodados com esse pedido de impeachment, com 140 deputados assinando, e eu só fico muito feliz", declarou.

Zambelli apontou arma para homem negro

Continua após a publicidade

Aliada do ex-presidente Bolsonaro, Zambelli foi gravada apontando a arma para um homem negro. O caso ocorreu em outubro de 2022, um dia antes do segundo turno das eleições, na esquina da rua Joaquim Eugênio de Lima com a Alameda Lorena, em São Paulo.

No vídeo, Zambelli atravessa a rua e entra em um bar com uma pistola empunhada. A parlamentar alegou que quis se defender após ter sido agredida e empurrada pelo homem, o jornalista Luan Araújo. Imagens do momento da confusão, no entanto, mostram que isso não aconteceu. A deputada, na verdade, caiu sozinha.

Na versão de Araújo, a confusão começou após ele encontrar Zambelli em um bar e mandá-la "tomar no cu". Ele relata que as pessoas que acompanhavam deputada começaram a filmar a discussão até que o homem disse "te amo, espanhola", uma referência a uma provocação do senador Omar Aziz (PSD-AM). Foi neste momento que Zambelli se desequilibrou, caiu e passou a correr atrás da vítima com a arma

Em 20 de dezembro, o ministro Gilmar Mendes determinou que Zambelli entregasse a pistola que usou para perseguir o homem. Ele atendeu um pedido da PGR (Procuradoria Geral da República).

A parlamentar cumpriu a decisão em 27 de dezembro, quando entregou a pistola Taurus G3C e as munições na Superintendência da PF (Polícia Federal) em São Paulo.

Deixe seu comentário

Só para assinantes