Conteúdo publicado há 1 mês

Câmara faz sessão de homenagem aos 40 anos do MST; oposição protesta

A Câmara dos Deputados fez hoje uma sessão solene em homenagem aos 40 anos do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), sob protesto de deputados da oposição.

O que aconteceu

Homenagem aos 40 anos do MST foi requerida por deputados do PT, Psol e Rede. Qualquer parlamentar pode propor uma sessão solene para comemorações especiais, segundo o regimento interno da Câmara. Acontece hoje também, por exemplo, uma homenagem ao Dia Mundial das Doenças Raras, pedida por Rosângela Moro (União-PR) e outros parlamentares.

Ricardo Salles (PL) se inscreveu para falar durante a sessão, e foi vaiado ao subir no plenário. Ele falou que a data não era motivo de comemoração, e atribuiu o movimento a crimes, como já tinha feito na CPI do MST no ano passado. A comissão terminou sem votar o relatório final.

Houve breve tumulto enquanto Salles estava ao microfone. A presidente da sessão, deputada Maria do Rosário (PT-RS), pediu respeito ao colega. "Todos serão ouvidos em silêncio aqui, porque o MST é um movimento que respeita a democracia", falou.

Maria do Rosário criticou a postura dos congressistas. "Nunca vi uma instituição homenageada ser desrespeitada pelos integrantes desta Casa", afirmou.

Após o evento, que durou cerca de duas horas, a Frente Parlamentar do Agronegócio fez uma entrevista coletiva para manifestar descontentamento. O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS), por exemplo, acusou a mesa diretora de censurar parlamentares de oposição. Além de Salles, Rodolfo Nogueira (PL-MS) também falou durante a sessão.

Deixe seu comentário

Só para assinantes