Conteúdo publicado há 1 mês

Ciro volta a atacar senadora: 'Cortesã'; parlamentar diz que vai à Justiça

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) voltou a atacar a senadora Janaína Farias (PT-CE), nesta quarta-feira (24). Em uma entrevista, ele chamou a parlamentar, que assumiu a cadeira do ministro Camilo Santana (Educação) no Senado, de "cortesã", termo associado à prostituição.

O que aconteceu

Ciro reafirmou que Janaína é desqualificada para o cargo, em entrevista à rádio Jangadeiro BandNews, de Fortaleza (CE). "Qual o mérito dela? Usei uma palavra mais moderada, falei que era 'assessora para assuntos de alcova [quarto], caiu o mundo em cima de mim. [...] Ao invés de ser uma assessora de alcova, agora vou substituir: ela é uma pessoa que organizava as farras do Camilo".

Apesar da fala, ele nega o machismo na declaração. "O que eu tenho a ver com a vida de Camilo? Nada. O que eu tenho a ver com a vida dela? Nada. Agora, 'botar' no Senado? A voz do Ceará no Senado? A mulher cearense representada no Senado por uma cortesã. Isso é machismo?".

Ao UOL, a senadora Janaína Farias criticou a fala de Ciro e voltou a dizer que processaria o ex-ministro. "A violência política contra as mulheres é um câncer que precisamos extirpar da nossa sociedade. Infelizmente ela ainda é uma prática comum e desesperada de quem não consegue tolerar a ascensão de lideranças femininas. Mas devo deixar claro que os ataques proferidos por esse senhor, de trajetória conhecida por posturas misóginas, estão sendo levados à Justiça e é lá que ele terá que responder por esse comportamento inaceitável".

Relembre o caso

Em entrevista ao site A Notícia do Ceará, no início do mês, Ciro Gomes disse que a senadora era "assessora de assuntos de cama" do ministro da Educação, Camilo Santana. O ex-ministro também afirmou que Janaína faz "serviço particular" de "harém".

Na ocasião, a senadora disse que iria processar o ex-ministro. Ela afirmou ao jornal O Globo que ficou "extremamente indignada" com a entrevista. Para ela, a punição é necessária para impedir que outros homens se sintam "confortáveis para continuar fazendo esse tipo de ataque às mulheres".

A declaração de Ciro Gomes foi repudiada pelas bancadas femininas na Câmara Federal e no Senado.

O ex-ministro e Camilo Santana são adversários no Ceará. A primeira suplente, Augusta Brito (PT), deixou o Senado para assumir uma secretaria a convite do governador Elmano de Freitas (PT). Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o movimento foi articulado por Camilo nos bastidores para impulsionar Janaína, que deverá ser candidata a prefeita de Crateús.

Deixe seu comentário

Só para assinantes