PUBLICIDADE
Topo

Água imprópria para banho causa problemas no estômago e doenças de pele

Entrar no mar em condições impróprias para banho é prejudicial à saúde - Thinkstock
Entrar no mar em condições impróprias para banho é prejudicial à saúde Imagem: Thinkstock

Isabela Noronha

Do UOL, em São Paulo

20/12/2013 07h00

Cidades banhadas pelo mar são o destino de férias favorito da maioria dos brasileiros. Em um levantamento feito pela empresa de turismo Expedia, divulgado em setembro deste ano, 77% dos entrevistados disseram que a viagem preferida tem que incluir praia, principalmente se for no verão. E 73% deles tinham viajado ao litoral no ano passado.

Mas para curtir o mar nessa época é preciso cautela. “Com o calor, a temperatura da água sobe e isso favorece a multiplicação e sobrevida de micro-organismos”, alerta o infectologista Vicente Amato, professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo). “Eles estão adaptados a nosso corpo. Quanto mais próximo da nossa temperatura, por volta de 36 ºC, 37 ºC, melhor o ambiente para eles”, diz Gustavo Johanson, infectologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Além disso, o grande número de banhistas também aumenta os riscos de contaminação, uma vez que nem todos fazem um uso da adequado do mar, despejando lixo e até fezes ou urina na água. Mas o maior problema são os esgotos. “Se há conteúdo gastrointestinal na água, há micro-organismos causadores de doença, pois eles se alimentam disso”, explica Gustavo Johanson.

 

Própria ou imprópria?

  • Arte/UOL

    Clique na imagem para conhecer as condições das praias do litoral brasileiro neste verão

Em alguns locais, a concentração de vírus, bactérias e protozoários é tão grande que a água fica imprópria para banho. Quando em contato com a pele ou ingerida – diretamente ou em alimentos – pode causar doenças.

 

Conheça os problemas causados pela água imprópria e entenda por que você deve evitá-la.


1.Gastroenterite: É a mais comum entre as doenças que se pega na água imprópria para banho. A gastroenterite pode ser causada por bactérias, protozoários, como as amebas, ou vírus, como o rotavírus e o norovírus. Esses micro-organismos entram no corpo quando a pessoa ingere água contaminada, ainda que em pequenas quantidades, ou alimentos que tiveram contato com ela. De maneira geral, os sintomas são vômito e diarreia, mas também pode haver cólicas, febre e sangue nas fezes. “Esse quadro costuma durar de dois a cinco dias”, diz Gustavo Johanson. “O principal tratamento é a hidratação, pois a pessoa perderá muita água”, completa. Se for causada por um vírus, não há tratamento a não ser esperar.
Porém, se a gastroenterite for causada por uma bactéria ou protozoário, pode ser necessário tomar medicamentos. E só um exame consegue determinar o causador da doença. Então, se sentir os sintomas acima, não hesite: procure um médico.

Mitos e verdades sobre o calor

  • Arte/UOL

    Camomila clareia o cabelo? Maquiagem na praia pode? Descubra aqui as respostas para suas dúvidas

2.Hepatite A: Essa doença é causada por um vírus que chega à água pelas fezes de pessoas infectadas. A contaminação é por via oral, ou seja, pela boca, através da água ou de alimentos que tenham o vírus – ele consegue sobreviver por cerca de quatro horas na pele, após o banho de mar. “Não vemos com frequência, mas pode acontecer”, alerta  Karla Cristiane Pinto, bióloga da Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental).
Mesmo contaminadas, algumas pessoas não sentem nada. Porém, a hepatite A pode causar náusea, vômito, febre, inchaço do fígado e icterícia, que deixa o corpo amarelado, mas é mais perceptível nos olhos. A doença leva entre duas e quatro semanas para ser curada, e o tratamento deve ser feito com a orientação do médico.

3.Micose: É uma infecção causada por fungo. A contaminação acontece pelo simples contato com a água contaminada. Os sintomas são variados: dependendo do tipo de micro-organismo, podem provocar vermelhidão, coceira e descamação da pele. O tratamento é feito com a aplicação, diretamente na parte infectada, de remédios indicados pelo médico. Em geral, as micoses melhoram em uma semana.

4. Conjuntivite: Essa inflamação na região dos olhos pode ser causada por vírus, bactéria ou protozoário. “Mais de 90% das vezes é vírus”, diz Gustavo Johanson. Embora a forma de contágio mais comum seja pelo contato com alimentos ou objetos manipulados pelo doente, ela pode acontecer também pela água contaminada. A conjuntivite causa vermelhidão, inchaço e secreções na região infectada, e dura, em média, de sete a dez dias. O tratamento varia conforme o micro-organismo causador da doença. Em alguns casos, é necessária a aplicação de um colírio específico, que deverá ser indicado por um oftalmologista.

5. Leptospirose: É mais comum na água doce, mas também pode ser contraída no mar. Essa doença é causada por uma bactéria eliminada com a urina de ratos. Esses micro-organismos chegam às praias com a ajuda das chuvas, frequentes no verão, que transportam a bactéria para rios, córregos e canais que desembocam no mar. Os sintomas principais são febre e dor no corpo, principalmente nas panturrilhas, mas também podem ocorrer náusea e vômito. O tratamento é feito com antibióticos indicados pelo médico e o doente pode levar cerca de sete dias para se curar.