PUBLICIDADE
Topo

Médicos de hospital universitário do Rio são diagnosticados com coronavírus

O Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj, localiza-se na região do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro - Divulgação/Uerj
O Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj, localiza-se na região do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro Imagem: Divulgação/Uerj

Marcela Lemos e Igor Mello

Colaboração para o UOL e do UOL, no Rio

16/03/2020 16h44Atualizada em 16/03/2020 20h55

A direção do Hupe (Hospital Universitário Pedro Ernesto), da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) confirmou na tarde de hoje que médicos de seu serviço de nefrologia testaram positivo para coronavírus. Um deles é o nefrologista e ex-vereador Edison Régio de Moraes Souza, de 65 anos, conhecido como Dr. Edison da Creatinina, que está internado em estado grave em um hospital particular da zona norte carioca.

"A equipe está sendo readequada para dar suporte aos pacientes internados", informou o hospital por meio de nota. Após a publicação desta reportagem, a direção do Hupe divulgou novo comunicado em que afirma que dois médicos estão diagnosticados com coronavírus —além do nefrologista internado, um segundo professor está em isolamento domiciliar e com boas condições de saúde.

De acordo com o hospital, até o momento não há paciente com o covid-19 internado tampouco a confirmação de que o vírus esteja circulando na unidade. O Hupe está sendo preparado para atuar como um dos suportes do estado aos pacientes com coronavírus com quadro de média ou alta complexidade. Segundo o hospital, foi reservada enfermaria específica para esses pacientes, com dez leitos equipados com suporte respiratório. Há outros cinco leitos para isolamento. Na próxima semana, mais 15 leitos estarão disponíveis.

Segundo amigos, Edison Régio de Moraes Souza, que dá aulas de nefrologia na Faculdade de Medicina da Uerj, já apresentava anteriormente problemas respiratórios que se agravaram com a infecção.

"Ele apresentou sintomas de febre, tosse, dificuldades respiratórias no dia 11 de março. Não teve histórico de viagem nos 14 dias anteriores ao início dos sintomas e também não teve contato direto com casos confirmados nem suspeitos", informou a Secretaria Estadual de Saúde. Não há informações de como ele contraiu o vírus.

A atuação dele na área de saúde fez com que tentasse se eleger vereador nas eleições de 2008 pelo PV (Partido Verde). Teve 2.573 votos, ficando na segunda suplência, e acabou assumindo uma cadeira na Câmara Municipal entre fevereiro de 2011 e dezembro de 2012. Ele tentou se reeleger, mas não teve sucesso.

Até agora, foram confirmados oficialmente 24 casos da doença no estado. Mais 95 casos suspeitos estão sendo investigados pelas autoridades sanitárias estaduais.

Witzel decreta estado de emergência no Rio

Na tarde hoje, o governador Wilson Witzel decretou estado de emergência no Rio. Segundo ele, o atendimento em bares e restaurantes será reduzido a um terço das mesas, enquanto em shopping centers somente a praça de alimentação permanecerá aberta.

Mais cedo, Witzel voltou a pedir para que a população evite aglomerações após um fim de semana com registros de praias lotadas, bares e restaurantes cheios e manifestação convocada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O governador evitou falar em medidas de força contra aglomerações, mas pediu que a população tenha consciência para ajudar a conter o número de casos de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

"Quero pedir à população pelo amor de Deus e pelo amor que você tem aos seus pais e aos seus avós", afirmou Witzel em entrevista hoje à TV Globo. "Esse vírus vai se propagar de uma forma ou de outra, mas a velocidade de propagação vai da população entender que não pode se aglomerar."

Errata: o texto foi atualizado
O apelido do nefrologista e do ex-vereador Edison Régio de Moraes Souza estava grafada com erro em uma versão anterior do texto. A informação foi corrigida.

Coronavírus