PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

SP recomenda missa e culto sem público e suspende taxa de água para pobres

Do UOL, em São Paulo

19/03/2020 13h17Atualizada em 19/03/2020 18h08

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou hoje uma série de medidas para combater a propagação do coronavírus no estado. Entre elas estão o fechamento de igrejas e templos por 60 dias e suspensão da cobrança de conta de água de famílias de baixa renda por 90 dias.

Em coletiva de imprensa, o governador recomendou que a partir da próxima segunda-feira (23), missas, cultos e outras celebrações religiosas sejam feitos sem a presença de fiéis.

As instituições poderão transmitir as celebrações pela internet ou pela TV, no caso daquelas que pagam pelo horário.

"A orientação é para que não promovam presencialmente celebrações de qualquer natureza", declarou Doria.

Ontem, Doria já havia recomendado o fechamento de shoppings e academias para frear o avanço do coronavírus.

Taxa de água

Outra medida anunciada foi a suspensão da cobrança de água para lares que pagam a tarifa social da Sabesp. Segundo o governador, a iniciativa deve beneficiar mais de 500 mil famílias de baixa renda no estado.

A suspensão será válida por 90 dias contados a partir de 1º de abril. "Em abril, maio e junho essas famílias não pagarão a tarifa de água", afirmou Doria.

Outras medidas

O governador anunciou ainda outras duas medidas de enfrentamento ao coronavírus. As férias de 165 mil professores da rede estadual serão antecipadas para o período em que as escolas estiverem fechadas.

Segundo Doria, são 150 mil professores e auxilaires da rede pública e 15 mil profissionais do Centro Paula Souza, responsável pela gestão das ETEs (Escolas Técnicas Estaduais).

Em outra frente, o governo decidiu suspender protestos da dívida ativa de pessoas físicas e jurídicas que devem ao estado. A suspensão começa em 1º de abril e valerá por 90 dias.

"Isso permitirá que as pessoas possam destinar recursos e renda para esse momento difícil de transposição da crise do coronavírus", afirmou Doria.

Coronavírus