PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
11 meses

Estádio Mané Garrincha será hospital de campanha durante pandemia

Estádio Mané Garrincha vai ser utilizado nas ações de socorro aos pacientes com covid-19 - Ueslei Marcelino/Reuters
Estádio Mané Garrincha vai ser utilizado nas ações de socorro aos pacientes com covid-19 Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

23/03/2020 23h13

Para ajudar no combate ao novo coronavírus, o estádio Mané Garrincha, no Distrito Federal, vai ser transformado em um centro de triagem e hospital de campanha pela Secretaria de Saúde. O local foi construído para a Copa do Mundo de 2014 e custou R$ 1,5 bilhão - o mais caro do país.

A Arena BSB, empresa responsável pelo estádio, disponibilizou ao Governo do Distrito Federal (GDF), na última sexta-feira (20), o uso do espaço. Segundo o diretor-presidente, devido à localização, o Mané Garrincha pode aliviar a rede hospitalar para pacientes com maiores gravidades.

"Temos acompanhado as informações sobre a pandemia do coronavírus, especialmente no Brasil. No âmbito do Distrito Federal fomos um dos primeiros a ter medidas restritivas de atuação, por lidarmos com o entretenimento e grandes públicos, mas mesmo assim acreditamos nas ações do Governo no combate à disseminação da covid-19. Entendemos que disponibilizar a estrutura do estádio é assumir uma cota de responsabilidade social neste momento tão crítico." explicou.

Um termo de cooperação entre a empresa e o GDF foi assinado ontem (22), formando a parceria. A Secretaria de Saúde já fez três vistorias no local. Ainda não há detalhes como a quantidade de leitos que vão ser disponibilizados, ou a data para o hospital começar a funcionar.

"Estamos dispostos a colaborar em todas as ações necessárias para a minimização da epidemia e suas consequências. Desde o início da gestão do Complexo Esportivo de Brasília temos como compromisso a segurança e o bem-estar de todos os usuários dos nossos equipamentos" destacou.

Procurado pelo UOL, o GDF informou que estádio vai ser utilizado apenas se houver necessidade de atender as pessoas que testarem positivo para o coronavírus. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal disse, através de nota, que recebeu o pedido e fará avalições. "Estudará, em caso de necessidade, a melhor forma de utilizar o espaço", explicou.

"Até agora, a estrutura da rede pública de saúde está atendendo bem as pessoas que precisam do atendimento. A curva do DF é ascendente, porém ela sobe em muito menos velocidade do que se vê em outros estados do Brasil", disse a nota.

O Distrito Federal tem 146 casos confirmados de coronavírus, de acordo com dados da Secom do DF. O Ministério da Saúde havia divulgado 133 casos no balanço divulgado pela tarde. Oito pacientes estão internados. Nenhuma morte foi confirmada.

Os estádios Nilton Santos, no Rio de Janeiro; Pacaembu, Morumbi e Arena Corinthians, em São Paulo; Mané Garrincha, em Brasília; Frasqueirão, em Natal; e Arena da Baixada, em Curitiba, já foram disponibilizados para os órgãos públicos.

Os materiais para montagem do hospital de campanha que será instalado no estádio do Pacaembu, por exemplo, começaram a chegar no último sábado e a previsão é que a estrutura com 200 leitos esteja concluída até sexta-feira.

Já a montagem do hospital de campanha do Anhembi, com 1,8 mil leitos, começou hoje e a previsão é terminar o trabalho no máximo até o domingo.

Coronavírus