PUBLICIDADE
Topo

Remédios em teste contra covid-19 têm compra e exportação restritas no país

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

25/03/2020 18h43

Resumo da notícia

  • Exportação de três substâncias testadas contra covid-19 é controlada pela Anvisa
  • Brasil produz os remédios, e presidente diz que resultados serão apresentados
  • Médicos não recomendam uso da medicação sem confirmação da eficácia

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aumentou hoje a lista de remédios com exportação restrita. A partir de agora, a venda para o exterior de três medicamentos que estão sendo testados para o tratamento da covid-19 dependem de autorização da agência: cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina.

A lista foi ampliada após publicação de uma resolução da Anvisa no Diário Oficial da União. Na sexta-feira (20), a agência já havia restringido a exportação de cloroquina e hidroxicloroquina. Nesta quarta-feira, a resolução foi republicada para restrição da exportação de azitromicina.

Os três medicamentos são fabricados no Brasil. Existem estudos que avaliam se os três são eficazes no tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus.

A cloroquina e a hidroxicloroquina são remédios usados no tratamento da malária. Segundo a infectologista Fernanda Maffei, alguns estudos realizados com um número pequeno de pacientes contaminados indicam que eles podem apresentar melhora com usos dos remédios.

"Isso ainda é preliminar", explicou. "Não é para ninguém sair tomando cloroquina por aí, até porque esses remédios têm efeitos colaterais."

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta tarde, no Twitter, que testes sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento de infectados pelo coronavírus devem ser divulgados em breve.

A postagem de Bolsonaro também cita a azitromicina. O medicamente é um antibiótico já indicado para tratamento de infecções, inclusive nos pulmões, órgão afetado pela covid-19.

Segundo Maffei, alguns estudos também indicam que o uso do antibiótico e da cloroquina juntos também podem levar à melhora pacientes com covid-19.

Anvisa regula venda também no Brasil

Na semana passada, depois que começaram a surgir as primeiras notícias sobre o uso da hidroxicloroquina e cloroquina para tratamento da covid-19, a Anvisa enquadrou os dois remédios num regime de controle especial de venda também no mercado interno brasileiro.

A nova categoria exige que a comercialização dos remédios só seja feita mediante apresentação receita branca especial, em duas vias.

Em comunicado publicado em seu site, a agência informou que o aumento no controle da venda dos medicamentos ocorreu após "relatos de que a procura pela hidroxicloroquina aumentou depois que algumas pesquisas indicaram que ela pode ajudar no tratamento da covid-19".

A própria agência fez uma ressalva quanto à eficácia do tratamento: "Apesar de alguns resultados promissores, não há conclusão sobre o benefício do medicamento no tratamento do coronavírus."

Em vídeo publicado no final de semana, Bolsonaro informou que ordenou que o laboratório do Exército Brasileiro amplie sua produção de cloroquina. Segundo ele, a medida é uma precaução.

Coronavírus