PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

É genocida, diz Marina Silva sobre campanha do governo contra isolamento

A ex-ministra do Meio Ambiente criticou o presidente Jair Bolsonaro pelo posicionamento em relação à pandemia - Mateus Bonomi/Folhapress
A ex-ministra do Meio Ambiente criticou o presidente Jair Bolsonaro pelo posicionamento em relação à pandemia Imagem: Mateus Bonomi/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

27/03/2020 12h30

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva fez duras críticas à campanha publicitária "O Brasil não pode parar" lançada pelo governo federal. Defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o objetivo da iniciativa é flexibilizar o isolamento social mesmo com a pandemia do novo coronavírus.

Para Marina, investir em algo que pode acabar aumentando a propagação do vírus é irresponsável. O valor da campanha não foi divulgado, mas há previsão de que vídeos institucionais comecem a ser distribuídos.

"Gastar milhões de reais em uma campanha publicitária com o mote "O Brasil não pode parar", que pode acabar incentivando o contágio do coronavírus no momento em que o país mais precisa de recursos para proteger a população, é irresponsável e genocida", afirmou em seu perfil no Twitter.

" Os números mostram que podemos entrar em uma curva perigosa de contágio e mortes nas próximas semanas. O governo deveria prevenir a população desse cenário trágico", acrescentou Marina.

" Diante da pandemia, esperamos mais sabedoria das nossas autoridades públicas, mas esse não é o caso do presidente que prefere liderar o país em direção ao abismo, colocando em risco aquilo que temos de mais precioso: a vida", ressaltou.

Abaixo uma das ações da campanha "O Brasil Não Pode parar", vinculada no perfil do governo no Instagram.

Coronavírus