PUBLICIDADE
Topo

Saúde monitora SP e mais 4 estados por risco de 'descontrole' da epidemia

Do UOL, em São Paulo

04/04/2020 19h40Atualizada em 04/04/2020 19h49

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou hoje que São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Ceará e Amazonas estão sendo monitorados com maior atenção porque se espera que passem por um aumento rápido nos casos de infecção pelo novo coronavírus nos próximos dias.

A afirmação leva em consideração o comportamento da doença em outros países onde o vírus de disseminou antes do Brasil. "Esses são os estados que percebemos que devem fazer essa transição para um aumento maior no número de casos", disse Gabbardo durante coletiva do ministério.

A pasta explica que esses estados são os primeiros a se aproximar do segundo nível na escala da epidemia porque recebem um maior número de viagens internacionais —o que não elimina, claro, a possibilidade de avanço da covid-19 em outras unidades da federação.

Gabbardo ainda destacou os estados do Sudeste e Sul, que devem sofrer mais com a chegada do inverno, em junho.

O secretário admitiu, porém, que o avanço da transmissão do vírus no Brasil está acontecendo mais lentamente que em outros países onde a doença já se alastrou, como Estados Unidos e Espanha. A comparação é feita a partir do registro do 100º caso nesses países e aqui até a fase atual.

"Em relação à curva [de crescimento dos casos] do Brasil... Desde que tivemos o caso 100, a nossa curva está tranquila. Ela está abaixo das curvas de crescimento da Espanha, abaixo da curva de crescimento dos EUA", comparou.

Casos oficiais e mortes

Foi para 432 o número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil nas últimas 24 horas, 73 óbitos a mais do que o registrado no dia anterior. O País soma 10.278 casos oficiais —aumento de 1.222 em relação a ontem—, com letalidade de 4,2%.

A região que mais concentra casos de covid-19, segundo o Ministério da Saúde, é a Sudeste (6.295). Na sequência estão Nordeste (1.642); Sul (1.139); Centro-Oeste (675) e Norte (527).

Coronavírus