PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Governador afrouxa isolamento em SC; prefeito de Florianópolis mantém regra

18.mar.2020 - Comércio fechado no centro de Florianópolis após decreto estadual para combater o avanço do coronavírus - Cristiano Andujar/Futura Press/Estadão Conteúdo
18.mar.2020 - Comércio fechado no centro de Florianópolis após decreto estadual para combater o avanço do coronavírus Imagem: Cristiano Andujar/Futura Press/Estadão Conteúdo

Andréia Martins

Do UOL, em São Paulo

13/04/2020 14h31

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), afrouxou as regras para o funcionamento de alguns estabelecimentos comerciais a partir de hoje no estado. O decreto com a mudança foi publicado ontem.

No entanto, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido), decidiu manter as medidas de restrição ao comércio e à circulação de pessoas na capital. Prefeitos de Joinville, Chapecó e outras cidades informaram que vão seguir as recomendações do governo estadual.

A decisão do governo estadual liberou o funcionamento de hotéis, pousadas, restaurantes, cafés, bares, lanchonetes, comércio de rua e afins com algumas regras. Por exemplo, hotéis poderão "ativar 50% de sua capacidade total de hospedagem", os restaurantes podem reabrir, no entanto, os salões permanecem fechados, podendo receber o público apenas para retirada dos pedidos.

No caso do comércio de rua, os clientes não poderão experimentar roupas e acessórios e o número de pessoas dentro das lojas não pode ultrapassar a 50% de sua capacidade.

Entre as obrigações comuns a todos os estabelecimentos com funcionamento autorizado estão o uso de máscaras por parte de todos os funcionários, inclusive os que não tenham contato com o público, priorização de afastamento sem prejuízo de salário dos trabalhadores com mais de 60 anos, hipertensos, diabéticos e gestantes e medidas de higienização e prevenção ao contágio.

Outros setores já haviam sido liberados em Santa Catarina, como lojas de chocolate, cadeia automotiva, concessionárias, farmácias, mercados, construção civil, profissionais autônomos, salões, barbearias e clínicas médicas.

Na capital, os comércios de rua devem continuar fechados por mais uma semana. Os hotéis e pousadas também não poderão reabrir as atividades. A medida, segundo o prefeito, foi tomada com base em estudos elaborados pelo comitê de crise da Secretaria de Saúde de Florianópolis.

"Florianópolis foi uma das primeiras cidades a adotar o distanciamento social. O que nós fizemos provavelmente diminuiu 3 ou 4 vezes o número de contaminados que teríamos", disse Gean Loureiro em uma live durante o final de semana.

Na mesma transmissão, ele apresentou um estudo de casos que demonstra que, sem intensificações das ações, em 30 dias não haverá vagas de UTI disponíveis na cidade. Ainda segundo o estudo, caso haja a abertura ampla de comércio e afins, em 45 dias a previsão é de morte de 300 pessoas.

Outra medida anunciada foi o decreto que fará com que, a partir do dia 17 de abril, todos sejam obrigados a usar máscaras caseiras para conter o aumento das infecções.

De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde de Santa Catarina divulgados ontem, o estado tem 776 casos confirmados do novo coronavírus e 24 mortes.

Coronavírus