PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Coronavírus: Brasil tem 2.906 mortes confirmadas e 45.757 casos

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 16h02Atualizada em 22/04/2020 20h18

Resumo da notícia

  • De ontem para hoje, foram confirmadas 165 novos óbitos
  • Sudeste concentra a metade (52,6%) dos casos de covid-19 no Brasil
  • São Paulo é o estado com o maior número de mortos (1.134), seguido pelo Rio de Janeiro (490)

O Ministério da Saúde anunciou hoje, em seu site oficial, que subiu para 2.906 o número de mortes cofirmadas pelo novo coronavírus no Brasil — aumento de 165 óbitos em 24 horas. Até ontem, eram 2.741 mortes registradas.

No total, são 45.757 casos oficiais no país, segundo os dados mais recentes do Ministério, com 2.678 diagnósticos de ontem para hoje. A taxa de letalidade — que compara os casos já confirmados no Brasil com a incidência de mortes — é de 6,4%.

O anúncio de hoje, no entanto, não significa necessariamente que 165 pessoas morreram nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, o Ministério da Saúde tem somado ao balanço diário mortes ocorridas dias atrás, mas com confirmação de covid-19 no último dia.

No total, as mortes em decorrência do coronavírus confirmadas em cada estado são:

Acre (8); Alagoas (20), Amapá (14; Amazonas (207); Bahia (50); Ceará (233); Distrito Federal (25); Espírito Santo (34); Goiás (21); Maranhão (66); Mato Grosso (6); Mato Grosso do Sul (6); Minas Gerais (47); Pará (43); Paraná (57); Paraíba (39); Pernambuco (282); Piauí (15); Rio Grande do Norte (29); Rio Grande do Sul (27); Rio de Janeiro (490); Rondônia (5); Roraima (3); Santa Catarina (37); São Paulo (1.134); Sergipe (7); Tocantins (1).

O Sudeste segue como a região que mais acumula casos de covid-19 no Brasil, com 24.062 (52,6%). Na sequência estão Nordeste (11.969), Norte (4.907), Sul (3.077) e Centro-Oeste (1.742).

Quantidade de recuperados

O Ministério da Saúde também divulgou hoje que o percentual de pessoas que tiveram coronavírus e se recuperaram é de 55,3%. Ao todo, do total de casos registrados da doença até hoje, 25.318 se livraram da covid-19.

Segundo o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, o governo federal deve divulgar a quantidade de recuperados com maior frequência. A pasta já apresentou os números de curados anteriormente, mas a prática não era recorrente.

São Paulo anuncia reabertura

São Paulo, o estado que conta com o maior número de casos (15.914) e mortes (1.134), anunciou hoje o plano de retomada da atividade econômica, que começa a valer em 11 de maio.

Além disso, o governador João Doria (PSDB) afirmou que a fila para testes para covid-19 no estado foi zerada e que vai repreender manifestações que bloquearem ruas que dão acesso a hospitais.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Doria anunciou que o término da quarentena deverá respeitar um cronograma por fases e será diferente para cada região, dependendo da disponibilidade de leitos nos hospitais.

João Doria, governador de São Paulo - ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
João Doria, governador de São Paulo
Imagem: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Serão criados três níveis conforme o avanço da covid-19: zona vermelha, amarela e verde. Hoje, não existe nenhuma cidade na zona verde. Para traçar o plano, foram estudados os casos de outros países e analisadas estatísticas locais, explicou o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann.

Ele afirmou que foram usadas oito referências que tratavam de temas como diminuição de novos casos, aumento do número de testes, a capacidade de leitos da rede pública de saúde. Serão respeitadas realidades divergentes de municípios e regiões e feito em fases.

Dirigindo-se a deputados, prefeitos, vereadores e entidades, o governador Doria afirmou que até o final da quarentena nada mudará. Há pressão de vários setores para retomada do comércio.

"Até o dia 10 de maio não haverá nenhum movimento, nenhuma alteração ao programa da quarentena no estado de São Paulo".

Coronavírus