PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: SP tem maior número de mortos em 24h e chega a 2.049 óbitos

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

28/04/2020 12h48

Enfrentando a fase da aceleração da pandemia, o estado de São Paulo chegou a 24.041 casos oficiais e 2.049 mortos por covid-19. O número mostra um aumento de 12% no número de infectados que morreram pela doença causada pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas - maior índice desde o início da pandemia. Os dados foram divulgados hoje, durante entrevista coletiva do Comitê de Contingência ao Coronavírus.

De ontem para hoje, o estado teve 2.345 novos casos oficiais e 224 mortes. São Paulo é a região mais atingida no Brasil e cerca de 45% das vítimas fatais do coronavírus moravam no estado. Coordenador do Centro de Contingência ao Coronavírus, David Uip foi contundente ao afirmar que o aumento de mortes tem relação com menos pessoas aderindo ao isolamento social.

Ele confirmou que existe efeito de causa e consequência ao haver mais pessoas jogando futebol ou bebendo em bares. "Eu não tenho a menor dúvida a respeito disso".

O efeito da queda no isolamento social faz pressão nos hospitais. A Grande São Paulo já está com 81% dos leitos de UTI ocupados e 70% em enfermarias. O percentual é considerado preocupante e pode impedir que o governo de São Paulo flexibilize a quarentena. O secretário de Saúde, José Henrique Germann, afirmou que se a taxa de respeito à quarentena não subir os parâmetros para retomada do comércio não devem ser atingidos.

O governo de São Paulo estabeleceu parâmetros de saúde a serem atingidos para reabertura do comércio e retomada do cotidiano. Um dos principais critérios é a taxa de ocupação das vagas de UTI. O percentual de 81% é considerado perigoso pelas autoridades e põe em risco qualquer afrouxamento na exigência de isolamento social.

Como a adesão à quarentena só faz cair, foi de 48% na segunda-feira, o dado mais recente, existe preocupação que a flexibilização do isolamento social não aconteça. Há até mesmo estudos na direção contrária, avaliando a possibilidade de levar pacientes da cidade de São Paulo para municípios até 400 quilômetros distantes se o sistema público entrar em colapso.

Na entrevista coletiva, especialistas do Centro de Contingência ao Coronavírus mostraram um estudo que mostra a disseminação da covid-19 pelo estado. Foi verificado que o fator de distância tem relação e a cada 100 quilômetros longe da cidade de São Paulo o risco de contaminação caiu 25%. Outros fatores que interferem na pandemia são população, densidade demográfica e fluxo com outros municípios.

Coronavírus