PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

SP: 66 cidades descumpriram isolamento mínimo exigido para comércio voltar

Comércio está restrito em São Paulo desde o início da quarentena em março - Cleber Souza/UOL
Comércio está restrito em São Paulo desde o início da quarentena em março Imagem: Cleber Souza/UOL

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

07/05/2020 04h01

Resumo da notícia

  • Doria disse que municípios que não atingirem 50% de isolamento social não terão afrouxamento da quarentena
  • Levantamento do UOL com base nos dados de isolamento social mostra que 66 cidades pólo não alcançaram o mínimo estipulado
  • A lista inclui municípios grandes e importantes como Campinas, Sorocaba e Santos e atinge cerca de 17,75 milhões de pessoas
  • A lista das cidades que poderão retomar pelo menos parte dos negócios será divulgada amanhã durante entrevista coletiva do governador

As regras de flexibilização da quarentena e a relação das cidades que poderão retomar parte dos negócios serão divulgadas amanhã (8), mas 66 municípios não entrariam na lista por causa da baixa adesão ao isolamento social se o corte determinado pelo governo do estado fosse feito na última terça (5).

Nesta semana, o governador João Doria (PSDB) afirmou que um dos critérios para que o estado autorize o relaxamento da quarentena será a adesão de ao menos 50% da população da cidade ao distanciamento social. Esse indicador é medido pelas antenas de celular que apontam a proporção de usuários que passou o dia no mesmo local em que dormiu (o que o sistema interpreta como a casa do cidadão).

Levantamento do UOL com base nesse Sistema de Monitoramento Inteligente do governo de São Paulo mostrou que este critério não foi atingido, na última medição disponível, pela capital nem pela maioria dos 104 municípios paulistas acompanhados pela ferramenta.

De acordo com os dados mais recentes, somente 38 cidades atingiram o critério estipulado por Doria. A relação de municípios com adesão à quarentena abaixo do mínimo exigido inclui polos regionais importantes como Sorocaba (44%), Campinas (45%) e Santos (46%).

É importante ressaltar que se enquadrar no parâmetro de adesão ao isolamento social não é o único critério para que o governo autorize a reabertura do comércio. Serão avaliados também indicadores de saúde como número de casos de covid-19 confirmados, mortes, capacidade de leitos de enfermaria e UTI.

Mas somente o parâmetro de isolamento social faz cerca de 17,75 milhões de pessoas que vivem nestas cidades 66 continuarem sob as mesmas regras de quarentena.

Entre os municípios que estão sem atingir o mínimo requisitado para poder concorrer a estar na lista de flexibilização, há três que sequer alcançaram 40% de isolamento social: São José do Rio Preto (39%); Araçatuba (39%) e Limeira (38%). Foi depois de ler a lista dos piores resultados de adesão à quarentena que o governador declarou, na segunda, que não vai afrouxar as regras para cidades que não atingirem metade de distanciamento social.

A lista final e os critérios serão anunciados amanhã em entrevista coletiva. Doria sempre repete que a palavra final é da ciência.

Isolamento social em SP - média: 47%

Menos de 50% da população tem ficado em casa:

Cidades excluídas, pelas regras anunciadas por Doria, da possibilidade de retomar o comércio agora:

  1. Limeira - 38%
  2. Araçatuba - 39%
  3. São José do Rio Preto - 39%
  4. Matão - 40%
  5. Presidente Prudente - 40%
  6. Ribeirão Preto - 40%
  7. Bauru - 41%
  8. Santa Bárbara d'Oeste - 42%
  9. Sumaré - 42%
  10. Barueri - 43%
  11. Assis - 44%
  12. Americana - 44%
  13. Bragança Paulista - 44%
  14. Franca - 44%
  15. Itatiba - 44%
  16. Jundiaí - 44%¨
  17. Marília - 44%
  18. Piracicaba - 44%
  19. Sorocaba - 44%
  20. Barretos - 45%
  21. Campinas - 45%
  22. Itapeva - 45%
  23. Itu - 45%
  24. Jaboticabal - 45%
  25. Lins - 45%
  26. Araras - 46%
  27. Mogi Guaçu - 46%
  28. Paulínia - 46%
  29. Santos - 46%
  30. Várzea Paulista - 46%
  31. Araraquera - 47%
  32. Atibaia - 47%
  33. Birigui - 47%
  34. Botucatu - 47%
  35. Guarulhos - 47%
  36. Itapevi - 47%
  37. Jaú - 47%
  38. Mogi Mirim - 47%
  39. Salto 47%
  40. São Bernardo do Campo - 47%
  41. São Caetano do Sul - 47%
  42. Taboão da Serra - 47%
  43. Taubaté - 47%
  44. Valinhos - 47%
  45. Avaré - 48%
  46. Ferraz de Vasconcelos - 48%
  47. Francisco Morato - 48%
  48. Hortolândia - 48%
  49. Indaiatuba - 48%
  50. Itapetininga - 48%
  51. Itapira - 48%
  52. Leme - 48%
  53. Mauá - 48%
  54. Praia Grande - 48%
  55. Rio Claro - 48%
  56. Santo André - 48%
  57. São Carlos - 48%
  58. São José dos Campos - 48%
  59. São Paulo - 48%
  60. Votorantim - 48%
  61. Cubatão - 49%
  62. Embu das Artes - 49%
  63. Jandira - 49%
  64. São João da Boa Vista - 49%
  65. Sertãozinho - 49%
  66. Tatuí - 49%

50% ou mais da população tem ficado em casa

Estar nesta relação não significa que a volta do comércio será autorizada. O governo avaliará ainda tamanho da cidade e indicadores de saúde

  1. Amparo - 50%
  2. Diadema - 50%
  3. Jacareí - 50%
  4. Mogi das Cruzes - 50%
  5. Osasco - 50%
  6. Ourinhos - 50%
  7. Suzano - 50%
  8. Vinhedo -50%
  9. Arujá - 51%
  10. Campo Limpo Paulista - 51%
  11. Carapicuíba - 51%
  12. Catanduva - 51%
  13. Cotia - 51%
  14. Franco da Rocha - 51%
  15. Guaratinguetá - 51%
  16. Itanhaém - 51%
  17. Santana de Parnaíba - 51%
  18. São Roque - 51%
  19. Itaquaquecetuba - 52%
  20. Guarujá - 52%
  21. Pirassununga - 52%
  22. São Vicente - 52%
  23. Votuporanga - 52%
  24. Bebedouro - 53%
  25. Caieiras - 53%
  26. Ibiúna - 53%
  27. Cajamar - 54%
  28. Itapecerica da Serra - 54%
  29. Pindamonhangaba - 54%
  30. Poá - 54%
  31. Caçapava - 55%
  32. Caraguatatuba - 55%
  33. Mairiporã - 55%
  34. Ribeirão Pires - 57%
  35. Cruzeiro - 58%
  36. Lorena - 60%
  37. Ubatuba - 61%
  38. São Sebastião - 63%

Fonte: Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do Governo de São Paulo

Coronavírus