PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Niterói (RJ) é a 1ª cidade do Sudeste a adotar bloqueio total de circulação

Praia de Icaraí, em Niterói, com o entrada bloqueada: município já havia proibido visitas à orla - Berg Silva / Prefeitura de Niterói
Praia de Icaraí, em Niterói, com o entrada bloqueada: município já havia proibido visitas à orla Imagem: Berg Silva / Prefeitura de Niterói

Igor Mello

Do UOL, no Rio

07/05/2020 18h29

A cidade de Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, é a primeira do Sudeste a estabelecer um bloqueio total — conhecido como lockdown no jargão técnico— para conter o avanço da pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A medida, proposta pela prefeitura, foi aprovada na noite desta quinta-feira (7) pela Câmara dos Vereadores do município e segue para a sanção do prefeito Rodrigo Neves (PDT). As restrições passam a valer na próxima segunda-feira (11).

De acordo com o projeto de lei enviado pela prefeitura, fica proibida a permanência e circulação de qualquer cidadão nas vias, praias, equipamentos, locais e praças públicas sob pena de multa de R$ 180. As únicas exceções são os trabalhadores de serviços considerados essenciais e as pessoas que estiverem indo a unidades de saúde ou a estabelecimentos que permanecem abertos, como supermercados e farmácias.

A fiscalização e aplicação das multas será feita pela Guarda Municipal do município, e os valores arrecadados serão aplicados obrigatoriamente na área de saúde,

O bloqueio total de circulação na cidade vale inicialmente entre 11 e 15 de maio, podendo ser prorrogado por igual período. O projeto estabelece ainda que moradores de rua não serão punidos por permanecerem em logradouros públicos.

Niterói é o terceiro município com mais casos confirmados de covid-19 no estado do Rio, com 524. De acordo com o último balanço da SES (Secretaria Estadual de Saúde), a cidade também registrou 35 mortes.

Mais cedo, a prefeitura de Niterói afirmou ao UOL que "não há nenhuma hipótese de restrição de atividades essenciais", como mercados, farmácias, pet shops e postos de combustíveis.

Ainda de acordo com a prefeitura, o reforço às medidas de isolamento foi adotado para que a taxa de isolamento social de Niterói retorne ao patamar de 70%, alcançado no início da pandemia. "O objetivo é que Niterói siga com capacidade de atendimento à saúde de sua população, salvando vidas e com retorno mais breve possível às suas atividades", diz a nota.

Apesar das crescentes pressões por parte de médicos e cientistas, o governador Wilson Witzel (PSC) e o prefeito da capital, Marcelo Crivella (Republicanos), têm evitado assumir o ônus de decretar um bloqueio total de circulação. A Prefeitura do Rio iniciou hoje a interdição do Calçadão de Campo Grande, na zona oeste, principal área comercial do bairro que lidera o número de mortes no Rio.

Em entrevista ao jornal O Globo, Witzel afirmou hoje que a adoção de lockdown terá que ser decidida por cada município, já que não haverá iniciativa nessa linha por parte do governo do estado.

Maranhão e Pará já adotaram medida

Com a decisão de Niterói, o Rio de Janeiro se torna o terceiro estado a ter municípios com bloqueio total de circulação. O primeiro foi o Maranhão, onde uma decisão judicial determinou a adoção da medida na capital São Luís e outras três cidades da Região Metropolitana a partir desta terça-feira (5).

Nesta quinta-feira, medida semelhante foi adotada pelo governo do estado do Pará em relação a Belém e outras nove cidades.

Ao todo, as medidas de bloqueio nos dois estados afetou 4,1 milhões de pessoas.

Coronavírus