PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Golpe promete teste barato de covid-19 em casa, mas produto não é entregue

Anúncio fraudulento oferece teste de covid-19 para fazer em casa - Reprodução
Anúncio fraudulento oferece teste de covid-19 para fazer em casa Imagem: Reprodução

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/05/2020 04h01

Testes rápidos de Covid-19 feitos em casa por um preço muito abaixo do mercado. Esta é a promessa enganosa feita por anúncios de kits de testagem para o novo coronavírus disponibilizados no Mercado Livre, site em que pessoas físicas podem vender produtos, nesta semana.

O problema é que esses anúncios são golpes. Nos comentários, gente que tentou fazer a compra e chegou a pagar por ela afirma não ter recebido o produto — cuja venda online é proibida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A agência também proíbe que o teste seja realizado pelo paciente em casa sem supervisão de profissional de saúde.

No fim da semana passada, ao menos dois anúncios do tipo estavam no ar na plataforma. Segundo o Mercado Livre, já foram excluídos 125 vendedores com ofertas similares e 58 mil propagandas enganosas de produtos que "garantiam prevenir, aliviar ou curar o coronavírus".

Um desses anunciantes oferecia um conjunto importado da China com 20 unidades do teste rápido de marca homologada pela Anvisa por R$ 199,90 — preço similar ao cobrado em farmácias por um teste individual.

A falsa oferta chamou a atenção de diversos usuários, que pediam informações sobre o produto. Na descrição, o anunciante, registrado como "MRICK101", de São Paulo, pedia que as vendas fossem feitas por fora. Das cem unidades oferecidas, sete foram vendidas, segundo os registros do site.

No meio da tarde, o anúncio foi suspenso pelo próprio Mercado Livre, mas quem acessava o link era encaminhado a outro anúncio semelhante. Com as mesmas descrições, o vendedor identificado como Danilo Aparecido de Almeida, de Embu Guaçu (SP), cobrava na mesma plataforma R$ 209,90 pelo kit com 20 unidades.

No registro de Danilo, há quatro avaliações ruins desde a última terça (5). Todas acusam fraude. "Não comprem! Ele diz que ocorreu um problema na etiqueta, portanto, deve realizar o pagamento através de link que ele envia. Isso é fraude! Deve ser banido", declarou uma usuária identificada como Walena.

"[O vendedor] falou que teve um erro no sistema, cancelou a minha compra e enviou um link para eu pagar fora do Mercado Livre. Cara de golpe!", informou outro possível comprador identificado como Guilherme.

O UOL tentou entrar em contato com os anunciantes, mas não teve sucesso.

Mercado Livre diz que veta vendas irregulares ligadas à Covid-19

Ao UOL, o Mercado Livre afirmou que impede a comercialização de produtos irregulares, "caso também dos testes rápidos para a Covid-19".

"Trabalhamos na remoção do site de publicações de produtos que garantam prevenir, aliviar ou curar o coronavírus, uma vez que são contrários aos nossos Termos e Condições, divulgando informações enganosas não endossadas pela Organização Mundial da Saúde", afirmou a companhia.

Anúncio tem foto retirada da internet e informações misturadas

Também foi possível identificar algumas incongruências nos anúncios fraudulentos. Os dois anúncios no ar na semana passada levavam fotos da caixa vermelha da fabricante chinesa Wonfdo, produto aprovado no Brasil pela Anvisa e distribuído pela Celer Biotecnologia, de registro MS 80537410048.

O texto, no entanto, cita outro teste, o CVD-19 IgG/IgM ECO, de registro MS 80954880132. Este também é aprovado pela Anvisa, mas distribuído pela ECO Diagnóstica, de caixa verde.

Os anúncios fraudulentos têm também erros grosseiros de ortografia e até transcrevem errado as marcas dos fabricantes dos testes.

Ao UOL, a Celer Biotecnologia afirmou que não faz vendas no varejo ou no Mercado Livre e só vende para pessoas jurídicas, empresas, hospitais, laboratórios, órgãos públicos e grandes distribuidores.

"A orientação é que os compradores sempre se certifiquem nos canais de atendimento da Celer sobre emissão de nota fiscal e entregas", sugere a empresa.

A reportagem também tentou falar com a Eco Diagnóstico, mas não teve sucesso. Não há qualquer indicação que ela esteja envolvida nas vendas.

Além disso, a imagem, que geralmente indica uma foto real ou de divulgação do produto, foi retirada do portal revendedora de produtos médicos Indutex USA, nos Estados Unidos.

Anvisa só libera teste em farmácia, laboratório e hospital

O UOL também procurou a Anvisa sobre a situação, mas não teve resposta. Em nota divulgada em site na última segunda (4), quando explica sobre a liberação para farmácias, a agência afirmou que testes em casa, diferentemente com o que acontece para testes de HIV e gravidez, por exemplo, não estão liberados.

"A autorização da Anvisa é para a realização dos testes rápidos de uso profissional em farmácias. Não se trata de autoteste. Neste contexto, vale ressaltar que a autorização da agência é válida para estabelecimentos que atentam para as condições operacionais e técnicas estabelecidas para a condução e orientações sobre os testes rápidos", informou a instituição.

Os testes rápidos em farmácias foram liberados pela agência na semana passada. Ao UOL, a Abrafarma (Associação Brasileira de Farmácias) afirma não ter conhecimento da comercialização destes itens, mas não a vê como um procedimento válido. "É ilegal, simples assim", declarou o presidente Sergio Mena Barreto.

Coronavírus