PUBLICIDADE
Topo

Capacidade do sistema de saúde vai definir chance de lockdown em São Paulo

Do UOL, em São Paulo

12/05/2020 13h25

A situação dos leitos de UTI em São Paulo deve definir a implementação ou não do lockdown, medida mais rígida de isolamento contra o novo coronavírus. Durante entrevista coletiva realizada hoje, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, apontou que a taxa de ocupação nos hospitais é o principal balizador para futuras decisões.

Segundo dados apresentados hoje, a taxa de ocupação dos leitos de UTI em todo o estado é de 69,1% e na capital, de 85,7%. A entrada de novos leitos no sistema fez com que o índice, que já chegou a superar 89%, diminuísse.

"O lockdown indica que o sistema de saúde necessita de medidas emergenciais. O sistema está nocauteado e você precisa tomar medidas drásticas. Você parar a circulação do vírus porque ele anda com as pessoas", disse. "Se você faz o trancamento, você impede que o vírus circule. Depois de 15 dias, você observa uma queda no número de casos. A capacidade do sistema de saúde é o que determina a necessidade ou não do lockdown. Sempre que a taxa dos leitos se apresenta de 100% você tem que considerar essa possibilidade. Se ultrapassa, você pode precisar de medidas mais drásticas, que podem chegar ao lockdown"

Já o secretário de Saúde, José Henrique Germann, foi cauteloso ao dizer que o Comitê de Contingência não trabalha com uma fórmula exata para definir a necessidade ou não da implementação da medida. Segundo ele, as decisões serão tomadas de acordo com a situação dos recursos disponíveis.

"Estamos com uma taxa de isolamento de 49%. Todos sabemos que se fosse 60% estaríamos em uma situação mais confortável, poderíamos ter opções diferentes. Não existe uma fórmula que chegue e, na hora que der X, vamos fazer um lockdown. Tomamos todas as ações na medida que estudamos e testamos a situação dos recursos que temos", analisou.

Coronavírus