PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Saúde anuncia que entrevista do dia sobre coronavírus foi cancelada

O ministro da Saúde, Nelson Teich - Anderson Riedel/Presidência da República
O ministro da Saúde, Nelson Teich Imagem: Anderson Riedel/Presidência da República

Do UOL, em São Paulo

13/05/2020 16h56Atualizada em 13/05/2020 18h09

O Ministério da Saúde divulgou, por meio de nota, que a entrevista coletiva de hoje sobre a situação do novo coronavírus foi cancelada. O pronunciamento da pasta é feito diariamente, incluindo a presença de outros ministros do governo e técnicos da pasta.

"A coletiva de imprensa às 17h no Palácio do Planalto está cancelada. O Ministério da Saúde aguarda a pactuação da estratégia de gestão de riscos junto a estados e municípios", diz o texto enviado pelo Ministério da Saúde. O comunicado foi repassado à imprensa às 16h52, oito minutos antes do início previsto da entrevista.

Na segunda-feira, o ministro titular da pasta, Nelson Teich, havia declarado que daria maiores informações sobre as diretrizes para isolamento social na coletiva de hoje. Anteontem, ele anunciou que hoje seria a data de lançamento de uma plataforma do governo com orientações a respeito da quarentena.

Ele já havia antecipado que adotará abordagens distintas para cada região do país, observando fatores como a relação de leitos disponíveis, hospitais e testagem da população. O ministro voltou a dizer, como em outras ocasiões, que não se trata de uma política sobre a flexibilização da quarentena.

"A decisão, vocês sabem, cabe aos estados e municípios. O que o Ministério da Saúde faz é disponibilizar uma linha de raciocínio", afirmou anteontem.

Em outra nota, divulgada posteriormente, o ministério afirmou que não houve consenso a respeito de algumas estratégias.

Confira a nota na íntegra:

"O Ministério da Saúde programou a divulgação da Estratégia de Gestão de Risco do Covid-19 para esta quarta-feira (13).

Desde o último sábado (9), a estratégia tem sido debatida com os conselhos dos secretários de saúde estaduais e municipais, o Conass e o Conasems.

O objetivo era ter um plano construído em consenso. No entanto, esse entendimento não foi obtido nas reuniões conduzidas até o momento.

Devido a complexidade de organização de orientações para um país continental, observando as diversas realidades locais e cenários diferenciados em relação ao Covid-19, a discussão entre Ministério da Saúde, Conass e Conasems sobre diretrizes será aprofundada.

A ação conjunta tem por objetivo auxiliar a tomada de decisão dos gestores locais em resposta a pandemia de Covid-19 em nível local.

As perguntas encaminhadas nesta quarta-feira para a coletiva técnica serão respondidas nesta quinta-feira (14), conforme a disponibilidade de agenda dos técnicos envolvidos."

Ministro surpreendido

Teich também foi surpreendido, durante a coletiva de ontem, com a informação de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) havia incluído academias de ginástica, salões de beleza e barbearias entre os serviços considerados essenciais e que, por isso, podem funcionar durante a pandemia do novo coronavírus.

"Saiu hoje?", reagiu ao ser questionado por um repórter, que queria saber se a pasta concordava com isso e se houve alguma orientação da pasta para a tomada dessa decisão. A entrevista acontecia no momento em que o decreto de Bolsonaro era publicado no Diário Oficial da União.

Coronavírus