PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Covas: puxar feriados é última cartada; lockdown não pode ser só na capital

São Paulo durante o período de isolamento para evitar o coronavírus - Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images
São Paulo durante o período de isolamento para evitar o coronavírus Imagem: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/05/2020 11h53Atualizada em 19/05/2020 14h58

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse hoje que a antecipação dos feriados na capital e no estado é uma das "últimas cartadas" para aumentar o isolamento social como medida contra a disseminação do novo coronavírus. Ele afirmou também que um lockdown restrito à capital não seria viável e só faria sentido se fosse em toda a região metropolitana.

Em entrevista à CNN Brasil, Covas disse que a expectativa é manter a taxa igual ou acima de 56%, número que foi atingido no último domingo.

"A antecipação é uma das últimas cartadas para manter em pelo menos 56% de restrição que tivemos no último domingo", disse.

Bruno Covas sancionou hoje a lei que antecipa dois feriados para amanhã (20) e quinta-feira (21). Além disso, a sexta-feira (22) será ponto facultativo. Ou seja, os moradores da capital paulista terão um feriadão de ao menos cinco dias entre 20 e 24 de maio. O governador João Doria (PSDB) ainda estuda a possibilidade de antecipar para a próxima segunda (25) o feriado de 9 de julho.

Também hoje, as sete cidades que compõem o ABC Paulista (Santo André, São Bernardo, Diadema, São Caetano, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) anunciaram que decidiram adiantar o feriado de Corpus Christi para esta sexta-feira (22).

Lockdown municipal é inviável

O prefeito também disse que é inviável fazer um lockdown apenas na cidade de São Paulo. De acordo com o prefeito, o município não tem poder de polícia sobre as pessoas. Além disso, a capital está em uma região metropolitana, com ruas que começam em uma cidade e terminam em outra.

"É inviável falar de lockdown municipal de uma cidade que está em uma região metropolitana. Uma calçada de um lado é São Paulo, de outro é outro município. É inviável lockdown que não seja metropolitano e sem a polícia", afirmou.

Bruno Covas também não entrou em detalhes sobre a possibilidade de uma retomada da economia em São Paulo a partir do fim de maio, quando termina o período de quarentena, mas insistiu que nenhuma decisão deve se restringir apenas à capital.

"Todo dia temos reuniões com a área da Saúde. Só dia 27 devemos falar com o Doria para o que deve acontecer na cidade e no estado. Estamos vivendo uma restrição estadual. Não adianta aprovar uma medida municipal. A atuação é conjunta com o governo para atuar na cidade de São Paulo", afirmou.

Quando vai ser o feriado?

A cidade de São Paulo antecipará dois feriados para esta semana, chegando a uma parada de cinco dias.

  • Feriado nesta quarta (20/5) antecipando o Corpus Christi (inicialmente em 11/6)
  • Feriado nesta quinta (21/5), antecipando a Consciência Negra (inicialmente em 20/11)
  • Emenda nesta sexta (22/5), declarada como ponto facultativo
  • Fim de semana normal (23 e 24/5)

O ponto facultativo indica a suspensão do expediente em repartições públicas e é concedido por meio de decreto.

Segunda 25 vai ser feriado?

Oficialmente, ainda não.

O governador João Doria quer antecipar o feriado estadual de 9 de julho, que lembra a Revolução Constitucionalista, para a próxima segunda-feira (25). A Assembleia Legislativa deve votar a mudança na tarde de quinta-feira (21). Hoje, os deputados estaduais analisam o pedido de urgência para avaliação da questão.

Mas membros da Assembleia indicam que o feriado no início da semana que vem pode ser dado como certo. A análise na Casa Legislativa seria mera burocracia.

O ponto facultativo vale para todos?

Não. Segundo o decreto da prefeitura, não será ponto facultativo nas repartições públicas municipais para quem atua em "unidades de saúde, segurança urbana, assistência social e no serviço funerário".

Como fica o rodízio?

Com o feriado, o rodízio de veículos não será aplicado na quarta (20) e na quinta (21).

Apesar de sexta (22) ser ponto facultativo e não feriado, a prefeitura estendeu a liberação do rodízio até o final da semana.

Assim, veículos com placa final 5 (cinco), 6 (seis), 7 (sete), 8 (oito), 9 (nove) e 0 (zero) poderão circular sem restrição pela cidade nesta semana.

A multa para quem desrespeita o rodízio é de R$ 130,16. O condutor também é punido com quatro pontos em sua carteira de habilitação.

Como vai ser o transporte público?

Consultada, a Secretaria de Transporte Metropolitanas disse que Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) irão funcionar no mesmo esquema dos últimos dias úteis. Possíveis alterações serão avaliadas amanhã.

A SPTrans, que gerencia os ônibus municipais da capital paulista, também irá manter a mesma quantidade de coletivos nas ruas. Serão 5.991 veículos para atender 1.013 linhas, incluindo as 150 noturnas.

Isolamento

Com as medidas, estado e Prefeitura pretendem melhorar os índices de isolamento, que costumam ser maiores em finais de semana e feriados.

Em dias úteis, o estado oscila entre índices de isolamento de 47% a 48%. Na capital, a taxa costuma variar de 47% a 48% de segunda a sexta-feira e aumenta nos finais de semana.

No último domingo (17), a capital registrou 56% de isolamento social. Autoridades dizem que 70% é o mínimo recomendado para conter o avanço do novo coronavírus.

O Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente) do governo de São Paulo mostra que o percentual de isolamento social no estado foi de 54% neste domingo (17).

Coronavírus