PUBLICIDADE
Topo

São Paulo tem 2º maior número de infectados por covid-19 em 24 h

Felipe Pereira e Patrick Mesquita*

Do UOL, em São Paulo

02/07/2020 14h48

O estado de São Paulo ultrapassou a marca de 300 mil casos registrados de covid-19. Ao todo, 302.179 pessoas foram infectadas pela doença causada pelo novo coronavírus. O número de mortes desde o início da pandemia chegou a 15.351.

Nas últimas 24 horas, 12.244 pessoas receberam o diagnóstico positivo em São Paulo — 2º maior número de casos confirmados de um dia para o outro. Em números absolutos, o maior registro de casos foi reportado em 19 de junho (19.030).

O dado registrado em 19 de junho disparou, conforme o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, por causa da volta a normalização do e-SUS. O sistema nacional, que faz o levantamento ambulatorial dos casos mais amenos da doença, passou por um processo de automação nos três dias anteriores à data e, com isso, os dados não foram registrados corretamente, gerando uma subnotificação.

De acordo com o coordenador do Centro de Contingência ao Coronavírus, Paulo Menezes, o aumento no número de casos verificado nesta quinta-feira pode ser explicado pela ampliação da testagem de casos leves.

"Acho que o principal comentário é a ampliação da capacidade de testagem de casos leves pelos laboratórios da rede pública. Hoje tivemos 30% de testes rápidos. Então, um total de 8,8 mil testes PCR", disse.

O secretário-executivo do Centro de Contingência ao Coronavírus, João Gabardo, ressaltou que a estatística de 12.244 infectados em um intervalo de 24 horas não pode levar a mudança no enfrentamento à pandemia. Ele justificou que não se traça estratégia observando somente um dado e nem avaliando um período tão curto.

Gabardo também afirmou que há mais testagem e ponderou que os novos casos são menos graves. Ele explicou que no momento anterior da pandemia, só passavam por exames pacientes que estavam internados.

Gabardo afirmou que agora o perfil dos infectados inclui pessoas que não recorreram a unidades de saúde por não apresentarem sintomas graves. O secretário-executivo do Centro de Contingência ao Coronavírus disse que são indivíduos que não vão precisar de leitos e, por este motivo, não haverá pressão na rede pública de saúde.

Por último. Gabardo declarou que não se espera o fim de novos casos e mortes de covid-19. A expectativa é que ocorra uma desaceleração na velocidade de casos e óbitos.

*Com informações da Agência Brasil.

Coronavírus