PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Nome de filha de Pazuello está em lista do auxílio emergencial, diz jornal

Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello - ADRIANO MACHADO
Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello Imagem: ADRIANO MACHADO

Do UOL, em São Paulo

30/07/2020 14h56Atualizada em 30/07/2020 15h29

O nome de Stephanie dos Santos Pazuello, filha do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, aparece na lista de solicitantes do auxílio emergencial, de acordo com reportagem do jornal "O Globo". O benefício é pago pelo governo federal a trabalhadores informais e de baixa renda durante a pandemia do coronavírus.

Segundo o jornal, o nome da filha de Pazuello está na base de dados da Dataprev, da Caixa Econômica Federal e do Portal da Transparência. O pedido do benefício chegou a ser aprovado, mas não foi pago por inconsistências no cadastro.

Segundo O Globo, o site da Dataprev aponta que o nome de Stephanie foi considerado "não elegível" para o benefício. O problema detectado aparece como "laço familiar", entretanto não fica claro se o fato de ser filha do ministro interino foi o responsável por barrar o pagamento.

De acordo com a reportagem, o pagamento de R$ 1.200 (valor pago a mães solteiras) em nome de Stephanie foi solicitado em 7 de abril, quase duas semanas antes de Pazuello assumir a secretaria-executiva do Ministério da Saúde, ainda durante a gestão de Nelson Teich. Posteriormente, com a saída de Teich, Pazuello assumiria o comando interino da pasta, em maio.

Procurada pelo jornal, a filha de Pazuello não quis comentar o assunto nem disse se seu nome teria sido usado indevidamente. Já a assessoria de imprensa do ministro interino informou que ele não tinha conhecimento do pedido.

Cargo em empresa da Prefeitura do Rio

Na semana passada, o nome da filha de Pazuello ganhou os noticiários após ela ser nomeada para o cargo de supervisora da Diretoria de Gestão de Pessoas da RioSaúde, empresa gerida pela prefeitura da capital fluminense.

Em nota, a RioSaúde informou que Stephanie Pazuello não foi contratada por seu parentesco com o ministro interino, mas sim por sua experiência na área e por sua formação em administração.

Coronavírus