PUBLICIDADE
Topo

Com 32.912 mortes, julho teve mais de um terço dos 92 mil óbitos por covid

Enterro de vítima da infecção provocada pelo novo coronavírus  - JORGE HELY/ESTADÃO CONTEÚDO
Enterro de vítima da infecção provocada pelo novo coronavírus Imagem: JORGE HELY/ESTADÃO CONTEÚDO

Allan Simon

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/07/2020 18h34Atualizada em 31/07/2020 21h25

Resumo da notícia

  • Mais de um terço das mortes por covid-19 no país ocorreram no mês de julho
  • Mês também registrou quase o mesmo número de infecções do que o observado entre o início da pandemia e o final de junho
  • Brasil teve, em média, 1.026 registros de mortes por dia na última semana

Ao longo do mês de julho, 32.912 óbitos em decorrência da covid-19 foram registrados no país, informa levantamento do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. O número é mais do que um terço do total de 92.568 vítimas oficiais da infecção pelo novo coronavírus registradas no Brasil desde o início da pandemia.

É um resultado superior ao observado em junho, em que 30.215 óbitos foram confirmados. Entre ontem e hoje, as secretarias estaduais de saúde, que embasam o levantamento feito pelo consórcio, passaram a contabilizar 1.191 novos registros de mortes.

O número de novos casos reportados nas últimas 24 horas, segundo o grupo de veículos, foi de 52.509, o que eleva o total de infectados a 2.666.298. Em julho, foram 1.257.813 novos casos. Do começo da pandemia até o dia 30 de junho, 1.408.485 diagnósticos foram realizados.

A média móvel indica que o Brasil teve 1.026 registros de mortes por dia na última semana. O consórcio de imprensa passou recentemente a divulgar esse dado, que calcula a média de óbitos observada nos últimos sete dias. Essa operação é a mais adequada para acompanhar a tendência das estatísticas, por equilibrar as variações abruptas dos números ao longo da semana.

8 estados em aceleração, 10 em queda

Com base no levantamento do consórcio, subiu para 8 o número de estados em aceleração na média móvel de mortes ao passo que caiu para 10 o número de estados em queda. Entre as regiões, Norte (-36%) e Nordeste (-21%) mantiveram redução e Centro-Oeste (+17%) e Sul (+28%) viram crescimento na variação dos últimos 14 dias.

Veja a oscilação nos estados:

  • Aceleração: AC, GO, MS, RJ, RR, RS, SC e TO
  • Estabilidade: BA, DF, MG, MT, PE, PR, RO, SE e SP
  • Queda: AL, AM, AP, CE, ES, MA, PA, PB, PI e RN

Governo registrou 1.212 novas mortes em 24 h

O balanço do Ministério da Saúde divulgado hoje informou que foram contabilizadas, nas últimas 24 horas, 1.212 novos registros de mortes provocadas pela covid-19 em todo o Brasil. O número total de vítimas da infecção causada pelo novo coronavírus chegou a 92.475.

Também foram acrescentados às contas de ontem para hoje 52.383 novos diagnósticos positivos da doença. O número de infectados desde o começo da pandemia no país está em 2.662.485 nos registros do governo federal. O índice não indica que as infecções ocorreram no período, mas, sim, quando passaram a constar nos balanços oficiais.

A pasta ainda afirmou que o Brasil tem 725.959 pacientes em acompanhamento atualmente, e que outros 1.844.051 casos são considerados como recuperados.

Cada pessoa com covid-19 infectou outras três no Brasil

Uma pesquisa divulgada hoje pela revista "Nature Human Behavior", aponta que cada pessoa infectada pelo coronavírus no Brasil transmitiu a covid-19 para, em média, outros três indivíduos entre fevereiro e maio.

O índice no Brasil ficou acima do registrado em outros países da Europa fortemente atingidos pela pandemia, como Espanha, Reino Unido (ambos com 2,6), França e Itália (2,5 cada), indicou o estudo.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informava versão inicial deste texto, reproduzido na Home do UOL, mais de um terço dos óbitos registrados no país em decorrência da covid-19 ocorreram em julho. A informação foi corrigida.

Coronavírus