PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Covid: País ultrapassa 104 mil óbitos e registra 1.164 novas mortes em 24 h

Parentes de vítima da covid-19 após velório no cemitério Parque Taruma, em Manaus - Andre Coelho/Getty Images
Parentes de vítima da covid-19 após velório no cemitério Parque Taruma, em Manaus Imagem: Andre Coelho/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

12/08/2020 17h53Atualizada em 12/08/2020 20h15

O país registrou 1.164 novas mortes pela covid-19 em 24 horas, somando 104.263 óbitos decorrentes da doença desde o início da pandemia. As informações são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte.

Foram confirmados 58.081 novos diagnósticos entre ontem e hoje, totalizando 3.170.474 casos da doença.

A média móvel de mortes, calculada em cima dos óbitos registrados nos últimos sete dias, aponta 978 novas mortes diárias por covid-19 no Brasil, resultado considerado estável (-5%) em 14 dias.

Conforme o levantamento feito pelo consórcio, o Brasil tem hoje 8 estados com desaceleração nas mortes e 6, além do Distrito Federal, no caminho oposto, com escalada nos números.

Entre as regiões, quatro mantiveram estabilidade, Centro-Oeste (+2%), Nordeste (-11%), Norte (+2%) e Sudeste (-10%), e só o Sul (+16%) continua a ser a única a apresentar aceleração.

  • Aceleração: AM, AP, DF, MG, MS, SC e TO
  • Estabilidade: BA, ES, DF, GO, MT,, PA, PB, PE, PI, PR, RN, RS e SP
  • Queda: AC, AL, CE, MA, RJ, RO, RR e SE

Dados da Saúde

Mais cedo, o Ministério da Saúde divulgou 1.175 novas mortes em 24h, com total de 104.201 óbitos pela covid-19. Ainda segundo a pasta, o país já registrou 3.164.785 casos confirmados, sendo 55.155 diagnósticos entre ontem e hoje.

O governo federal considera 2.309.477 pacientes recuperados da doença e afirmou que 751.107 seguem em recuperação.

Paraná faz parceria com Rússia por vacina

O Paraná assinou hoje um entendimento com o governo da Rússia para participar de testes com a vacina anunciada ontem e, talvez, importar a tecnologia para produzi-la no estado. Um grupo de cientistas e pesquisadores receberá a documentação com informações sobre a vacina e vai avaliar o que for apresentado. A partir daí, dará início aos trâmites legais para registrá-la em território nacional; o acordo só será finalizado com a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e do Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa).

Secretário de Relações Internacionais do Paraná, Luís Carlos Mascarenhas declarou hoje à CNN que, se a parte envolvendo documentações for resolvida de forma rápida, é possível que os testes se iniciem em 20 ou 30 dias. Já o diretor-presidente do Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná), Jorge Callado, avaliou que a produção da vacina no Brasil pode ocorrer no segundo semestre de 2021.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Coronavírus