PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Doria agradece Anvisa e diz que CoronaVac é vacina mais promissora do mundo

Assinatura do contrato de fornecimento das primeiras 46 milhões de doses da CoronaVac, firmado entre Weining Meng, vice-presidente mundial do Sinovac (à esq.), João Doria (PSDB-SP) e Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan - Reprodução/YouTube
Assinatura do contrato de fornecimento das primeiras 46 milhões de doses da CoronaVac, firmado entre Weining Meng, vice-presidente mundial do Sinovac (à esq.), João Doria (PSDB-SP) e Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

28/10/2020 18h57

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) agradeceu hoje a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pela autorização dada à importação de matéria-prima da China para a produção da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida e testada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. A demora na liberação vinha sendo motivo de cobranças por parte do Butantan.

"Agradeço a Anvisa pela aprovação da importação da matéria-prima para a produção nacional da vacina contra a covid-19. Desta forma, poderemos produzir a CoronaVac aqui em São Paulo, no Instituto Butantan, que há 120 anos presta serviços ao país e produz vacinas para os brasileiros", escreveu Doria no Twitter.

Na última sexta-feira (23), o diretor do Butantan, Dimas Covas, reclamou que a instituição ligada ao governo paulista já havia feito a solicitação à Anvisa há um mês, em 23 de setembro. À época, a Agência afirmou que daria uma resposta em cinco dias úteis.

Com a liberação da importação, o Butantan pretende produzir 40 milhões de doses da CoronaVac em sua fábrica até dezembro. Outras seis milhões de doses já virão prontas da China, em importação que também precisou de autorização da Anvisa.

O imunizante, porém, ainda se encontra em estudos de eficácia e não tem previsão para ter seu registro aprovado pela agência federal. O governo paulista ainda espera que o Ministério da Saúde faça sua distribuição caso a vacina seja aprovada, mas hoje Doria já antecipou que estuda uma campanha de vacinação estadual.

"Mais promissora do mundo"

O governador paulista também aproveitou para valorizar a expectativa positiva em torno da CoronaVac, que demonstrou bons resultados nos testes de segurança. Com a vacina no centro de uma disputa política contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partida), Doria elogiou o imunizante desenvolvido pelo Butantan.

"Ressalto que a CoronaVac está na fase três de testes, a última fase que antecede seu lançamento. Até aqui, é considerada a vacina mais promissora do mundo. Um passo importante na luta contra o coronavírus para salvar vidas", publicou o governador também na rede social.

Na semana passada, a CoronaVac chegou a ter um compromisso de compra das primeiras 46 milhões de doses feito pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello, mas um dia depois Bolsonaro desautorizou o titular da pasta e mandou cancelar a compra do imunizante.

Coronavírus