PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
6 meses

Covas nega 2ª onda de covid em SP: 'Notícia para deixar pessoas com medo'

Do UOL, em São Paulo

16/11/2020 16h08Atualizada em 16/11/2020 16h57

Prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB) negou hoje que a capital paulista esteja vivendo uma segunda onda de casos de coronavírus. Ele afirmou que a alta nas internações é explicada, em partes, pela maior exposição da classe A, que passou mais tempo em quarentena e acabou flexibilizando o isolamento rápido demais.

"Não significa [dizer] que ter mais pessoas nesses hospitais reflete a situação da pandemia na cidade de São Paulo", disse o prefeito ao UOL Entrevista, comandado pelos colunistas do UOL Diogo Schelp e Leonardo Sakamoto. "Não há nenhum indício nos dados públicos de qualquer segunda onda, é mais uma notícia produzida às vésperas das eleições para deixar as pessoas com medo, como se aqui a gente tivesse qualquer prazer particular em relação à quarentena".

Grande parte dessas novas hospitalizações, de acordo com Covas, são de pessoas de fora da capital paulista, definida por ele como "uma cidade acolhedora e referência no tratamento da área da saúde". O prefeito também fez uma analogia às acusações de fraude nas urnas, dizendo que a ideia de uma segunda onde de covid-19 em São Paulo é infundada.

"Não há nenhuma evidência, não há nenhuma prova disso. É lamentável que as pessoas tentem politizar uma questão que é da ciência. Aqui não se trata de o prefeito achar que tem de fazer isso, fazer aquilo, produzir números. Não é assim que a gente tem enfrentado esse desafio desde março, quando o problema chegou aqui", reforçou.

O último boletim divulgado pela prefeitura mostra que a cidade somava, até ontem, 382.581 casos confirmados de covid-19, além de 13.941 mortos. A taxa de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) está em 38%.

Já o governo de São Paulo decidiu adiar a reclassificação que estava programada para hoje do Plano SP, o conjunto de medidas restritivas adotadas para controlar a pandemia no estado, após aumento de 18% nas internações na última semana. João Doria prometeu uma nova atualização para 30 de novembro, quando mais regiões podem avançar à chamada "fase verde" do plano.

Einstein faz alerta

No sábado, o Hospital Israelita Albert Einstein fez um alerta para o aumento de internações por covid-19 verificado em São Paulo nos últimos dias, além do crescimento no número de testes realizados e nos diagnósticos positivos para a doença.

Em nota, o hospital informou que, entre quinta (12) e sexta (13), foram registradas 18 novas internações relacionadas à covid-19, número que supera a média de hospitalizações contabilizadas diariamente nas últimas semanas.

Do fim de setembro ao dia 12 de novembro, a média de internações oscilou entre 50 e 55 pacientes, segundo o hospital, o que representa patamar até 26% inferior ao atual (68).

Já o número de testes positivos foi crescendo gradativamente a partir do fim de outubro: entre os dias 20 e 26, a média diária foi de 869 exames, sendo 82 positivos; de 27 de outubro a 2 de novembro, foram 867, mas com 97 positivos. Já entre 3 e 9 de novembro, a média saltou para 1.017, com 155 confirmações (15,2%).

*Colaboraram com esta cobertura Anaís Motta e Douglas Porto, do UOL, em São Paulo

Coronavírus