PUBLICIDADE
Topo

Covas: Resultado da eleição mostra ponto de vista 'pequeno' de Bolsonaro

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), em participação no UOL Entrevista - Reprodução/YouTube
O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), em participação no UOL Entrevista Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

16/11/2020 15h36Atualizada em 16/11/2020 16h34

O candidato à reeleição para a Prefeitura de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), cutucou hoje Jair Bolsonaro (sem partido), pelo fato de os políticos que o presidente apoiou nas eleições municipais não terem sido bem-sucedidos, de forma geral. O tucano definiu o apoio de Bolsonaro em São Paulo como um mau negócio, reforçando o interesse da população no currículo, e não nos "padrinhos" dos candidatos.

"Realmente não parece ter sido um bom negócio para o presidente se meter na eleição aqui em São Paulo. Mais uma vez a população refutou eleger este ou aquele nome simplesmente porque tem o apoio deste ou daquele político. A população queria saber exatamente quem eram os candidatos, foi buscar saber e conhecer mais", disse Covas em participação no UOL Entrevista.

Citando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o prefeito também disse que a eleição devolveu a Bolsonaro "o tamanho que ele sempre teve", mostrando "o quão pequeno o ponto de vista dele é". "O apoio não interfere só aqui em São Paulo, é no Brasil como um todo", acrescentou.

Em São Paulo, Bolsonaro apoiou Celso Russomanno, do Republicanos. Nas primeiras pesquisas, Russomanno chegou a aparecer em primeiro lugar, mas foi desidratando ao longo da campanha e terminou o primeiro turno em quarto lugar, com 10,50% dos votos válidos.

Covas ainda minimizou a rara presença do governador João Doria (PSDB) durante sua campanha à reeleição. O prefeito repetiu que o eleitor já deu amostras de que não está preocupado com disputas entre padrinhos políticos, e estranho seria Doria abandonar suas obrigações no governo para pedir votos a alguém.

"Ele [Doria] sempre deixou muito claro quem é o seu candidato aqui na cidade de São Paulo, em nenhum momento eu escondi apoio dele. A população quer comparar o currículo dos candidatos. O candidato sou eu nesta eleição. O que eu já fiz, por onde eu já passei, o que eu penso, o que eu quero fazer nos próximos quatro anos", argumentou.

A minha campanha adotou uma estratégia no primeiro turno e vai seguir essa estratégia no segundo turno. Nós vamos comparar os currículos dos candidatos, a experiência de cada um, o que cada um já fez na cidade de São Paulo. E eu tenho certeza que quem compara vota Covas. Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição em São Paulo

*Colaboraram com esta cobertura Anaís Motta e Douglas Porto, do UOL, em São Paulo