PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Ministério sobre vacinação: 'Atenderemos pessoas mais expostas ao vírus'

Do UOL, em São Paulo

28/11/2020 01h07

Apesar de ressaltar que o Brasil ainda não possui nenhuma vacina registrada contra a covid-19, a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Francieli Fantinato, disse que irá atender primeiramente as pessoas mais expostas ao vírus durante a vacinação, quando o imunizante chegar ao País. A fala ocorreu durante coletiva de imprensa realizada pelo Ministério da Saúde, na tarde de hoje.

"Neste momento, estamos fazendo a avaliação epidemiológica, enfatizando a situação do mundo e também do Brasil, onde a gente verifica quais são os públicos mais vulneráveis, em relação à doença, tanto do que diz respeito ao adoecimento e também à mortalidade. E essa situação epidemiológica é que vai embasar a situação de grupos prioritários no momento em que tivermos a vacina disponível no Brasil", disse ela.

"Nós já temos os objetivos da vacinação definidos: que são a morbidade, a mortalidade, e também atender as pessoas mais expostas ao vírus. Por que definimos objetivos? Porque, neste momento, nós não temos uma capacidade mundial de produzir vacina para toda a população brasileira. Então temos quantidade limitada de vacina. Então, precisamos definir os objetivos para redirecionar a nossa estratégia de vacinação", completou em seguida.

Na coletiva, o secretário-executivo do Ministério da Saúde Elcio Franco Filho comparou a campanha de vacinação da influenza com a que é planejada para combater a covid-19.

"Vivemos uma epidemia de influenza há alguns anos e a nossa meta é vacinar 80 milhões de brasileiros por ano. Nós não vacinamos toda a população. Quando a gente fala sobre vacinação, o mundo entende que não teremos vacinas para todos", afirmou.

Saúde