PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Amazonas sofre com falta de leitos para covid; crianças são preocupação

Mario Oliveira/SECOM/Manaus
Imagem: Mario Oliveira/SECOM/Manaus

Rosiene Carvalho

Colaboração para o UOL, em Manaus

09/01/2021 04h00

O Amazonas tem 404 pacientes com covid-19 na fila de espera por leitos na rede pública e privada. Destes, 58 aguardam em gravidade uma vaga na UTI. Outros 346 esperam por internação em leitos clínicos.

O estado enfrenta uma onda da covid-19 que fez sucumbir os sistemas de saúde público e privado desde o final de dezembro. Nenhuma notícia mais positiva no setor funerário, que não tem vagas para corpos. É a segunda vez que isso ocorre em oito meses.

Os dados foram divulgados no boletim diário da FVS (Fundação de Vigilância em Saúde) de ontem. No dia anterior, a fila de espera era de 301 pacientes.

Desse total, 57 pacientes são do interior do estado, principalmente vindos de municípios a longas distâncias.

Os números são reflexo de confraternizações e festas de final de ano. A taxa de ocupação em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na rede pública atingiu 95,1%, embora os números pareçam maiores.

A taxa de ocupação de leitos clínicos na rede pública também é alta: 89,96%. E em dissonância com pacientes em busca de internação sem encontrar este tipo de leito.

Nos últimos dias, as Upas (Unidades de Pronto Atendimento) em Manaus têm dificuldades em realizar transferência de pacientes com covid devido à alta taxa de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

Com os hospitais lotados, salas de descanso e corredores viram espaços para leitos improvisados. Ainda assim, muitas pessoas voltam para casa sem atendimento.

Um funcionário de uma UPA que pediu para não ser identificado conta que pacientes voltaram para casa sem atendimento após peregrinarem em outras unidades.

A coisa está feia. Acompanhantes de pacientes chorando, pedindo pelo amor de Deus e a gente sem poder fazer nada. Estamos fazendo além do limite, mas, quando chega ao impossível, aí fica difícil...
Funcionário de UPA que pediu anonimato

Procurada, a Secom (Secretaria de Comunicação) do governo do Amazonas enviou nota dizendo que unidades "passam por picos de atendimento em determinados períodos do dia". Ainda segundo a Secom, a Secretaria de Estado de Saúde "trabalha incansavelmente" para abrir novos leitos.

O Amazonas tem 1.339 pessoas internadas com diagnóstico confirmado com covid-19: 421 em UTIs, 859 em leitos clínicos e 59 em salas vermelhas. Outras 1.844 pessoas ocupam leitos de UTI, clínicos e de salas vermelhas com diagnóstico suspeito de covid-19. Os dados são de sexta.

UTI infantil ocupada preocupa

Até os leitos de UTI reservados para crianças com covid-19 estão com cheios. Nesta sexta, a FVS divulgou ocupação de 85,71% das UTIS infantis.

Na segunda-feira, a diretora-presidente da FVS, Rosemary Costa Pinto, afirmou que os pais devem ter especial preocupação com crianças com idade abaixo de cinco anos.

"Temos registrado aumento de casos [de covid] em crianças. Então, há necessidade de prestarmos a devida atenção aos sintomas gripais nas crianças para que tenham atendimento adequado", disse.

Apesar da preocupação, a maior taxa de contaminação no estado se concentra entre pessoas com idade entre 20 e 49 anos, mas as mortes avançam sobre a população idosa.

Em Manaus, as pessoas acima de 60 anos representam 15,9% do quadro de infectados. Quando comparado aos registros de mortos, o percentual sobe para 73,2%.

Coronavírus