PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Venezuelano que teve alta no PI é barrado em aeroporto e não volta a Manaus

O venezuelano Leonardo Rafael Perez Cova, 46 - Divulgação HU/Romário Farias
O venezuelano Leonardo Rafael Perez Cova, 46 Imagem: Divulgação HU/Romário Farias

Yala Sena

Colaboração para UOL, em Teresina (PI)

22/01/2021 19h11

O venezuelano Leonardo Rafael Perez Cova, 46 anos, que teve alta do Hospital Universitário após ser transferido de Manaus para Teresina, foi barrado hoje no aeroporto Petrônio Portella, na capital piauiense. Ele tentava embarcar de volta para o estado do Amazonas, quando foi impedido por falta de documentação. Ao todo, nove pacientes com o vírus foram transferidos da capital do Amazonas para Teresina.

Leonardo Perez chegou a entrar no avião comercial, mas a funcionária da Sesapi (Secretaria Estadual de Saúde), que acompanhava cinco pacientes no aeroporto, resolveu suspender a ida do venezuelano, alegando que ele poderia ficar barrado no aeroporto de Guarulhos, onde faria conexão. Ele estava sem qualquer documento de identificação.

A Sesapi bancou as hospedagens dos pacientes de Manaus em hotel de Teresina e comprou passagens aéreas em voo comercial com saída, às 15h55, de hoje, com conexão em São Paulo e chegando em Manaus às 0h25. Um deslocamento de mais de 8 horas de viagem.

Visivelmente triste, o venezuelano não quis falar com o UOL sobre o ocorrido. Ontem, ao ter alta, ele contou que está morando em Manaus há dois anos e trabalha como autônomo.

A Secretaria Estadual de Saúde divulgou nota afirmando que irá providenciar a documentação de Leonardo e que ele retornaria a Manaus amanhã, dia 23.

"A Secretaria Estadual de Saúde esclarece que o venezuelano não pode embarcar nesta sexta-feira (22) por estar com a documentação irregular. A Sesapi acionou a delegacia através de Boletim de Ocorrência para que fosse regularizada a documentação e neste próximo sábado (23) o venezuelano embarcará para Manaus. No momento ele está hospedado em hotel da capital recebendo os cuidados de equipe da Sesapi", diz a nota.

Nove pacientes vieram para Teresina na última sexta-feira (15) em avião da FAB (Força Aérea Brasileira) com problemas respiratórios, devido à covid-19. Cinco já tiveram alta e alguns vão continuar o tratamento em casa. Dos quatro que permanecem em Teresina, dois continuam na UTI.

"Dos quatro pacientes internados, dois homens ainda estão na UTI, exigindo cuidados intensivos, porém não estão intubados. Os outros dois pacientes, duas mulheres, apresentaram melhora clínica significativa, receberam alta da semi-UTI para a enfermaria. Uma delas já respira sem ajuda de oxigênio, devendo ter alta hospitalar nas próximas 48 horas", diz boletim do Hospital Universitário.

Coronavírus