PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

GO: secretário pede perdão por furar fila e vacinar a 'mulher da vida dele'

O secretário de Saúde de Pires do Rio (GO), Assis Silva Filho, com Maria, a "mulher da vida dele" - Reprodução
O secretário de Saúde de Pires do Rio (GO), Assis Silva Filho, com Maria, a "mulher da vida dele" Imagem: Reprodução

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

22/01/2021 16h57

O secretário de Saúde de Pires do Rio (GO), a 148 km de Goiânia, Assis Silva Filho, admitiu hoje que infringiu as diretrizes do Ministério da Saúde e mandou vacinar a sua mulher contra a covid-19, mesmo ela não figurando entre os grupos prioritários selecionados para a primeira fase de imunização.

Através de uma live no Facebook, Assis Silva, que também é pastor da igreja Vitória em Cristo, afirmou que errou como "grandes vultos da Bíblia erraram" e teve o intuito apenas de resguardar e preservar a saúde da "mulher da vida dele".

Ele não informou, porém, se também foi vacinado.

"Hoje, de uma maneira especial, eu venho prestar contas dos meus atos. Antes de qualquer coisa, eu quero pedir perdão para Deus, pedir perdão para a igreja, pedir desculpas aos que confiaram no projeto e colocaram na minha mão. Eu quero pedir desculpas a toda população de Pires do Rio", disse na live o secretário com a mulher Maria, que também é pastora, posicionada atrás dele.

Assis Silva afirmou que vereadores da cidade pediram explicações sobre a atitude e que prestará contas à Justiça.

"Estarei prestando contas à Justiça. Grandes vultos da Bíblia também erraram. E eu também cometi, por um vacilo e descuido, um erro. Quero me redimir por tudo o que aconteceu. Peço desculpas a Deus e peço a Ele, imploro a Ele que aceite as minhas escusas. E foi com intuito apenas de resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida. Sou capaz de dar a minha própria vida por ela", justificou.

O secretário também ressaltou que a esposa o acompanha em todas as unidades de saúde e que, "praticamente, se tornou uma voluntária na prestação de auxílio juntamente comigo. Ela tem prioridade porque está na área de risco com mais de 70 anos", argumentou.

O UOL entrou em contato com a prefeitura de Pires do Rio e com a secretaria de Saúde de Goiás para se posicionarem sobre o ocorrido, mas não obteve retorno até a publicação.

Em documento publicado na quarta-feira (20), assinado pela coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Juliana dos Santos Escramin, a secretaria Municipal da Saúde informou quais seriam os grupos prioritários da primeira fase de vacinação que se iniciou na mesma data:

  • Trabalhadores do Hospital Municipal de Pires do Rio (todos os funcionários)
  • Asilo São Vicente de Paulo (Idosos e funcionários)
  • Lar Maria Madalena (Idosos e funcionários)
  • Equipe de Saúde da Família (médicos, enfermeiros, Técnicos em enfermagem, recepcionistas, auxiliares de limpeza - exceto agentes comunitários de saúde, odontólogos e auxiliares de saúde bucal
  • Centro Municipal de Saúde (todos os funcionários)
  • Laboratórios particulares (todos os funcionários)
  • Vigilância Sanitária

O documento ainda informa que todos os profissionais da Saúde serão vacinados, mas ressalta que, devido à pouca quantidade de doses oferecidas pela Regional Estadual de Saúde, na primeira fase serão vacinados os profissionais que estão na linha de frente de combate à covid-19.

Cotidiano