PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
7 meses

Dez regiões avançam no Plano SP e uma regride; capital vai para a amarela

Douglas Porto, Lucas Borges Teixeira, Rafael Bragança e Allan Brito

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL

05/02/2021 13h09Atualizada em 05/02/2021 15h06

O governo de São Paulo anunciou hoje que dez das 17 regiões do estado avançaram de fase na nova reclassificação do Plano São Paulo, que coordena a flexibilização de medidas restritivas de controle da pandemia de covid-19. Entre as regiões que progrediram devido à melhora nos índices que controlam o plano, como número de novas internações e ocupação de leitos, está a Grande São Paulo, que inclui a capital, passando da fase laranja para a amarela.

Com isso, bares podem funcionar até as 20h e restaurantes até as 22h, com limite de ocupação de 40% dos estabelecimentos e venda de bebida alcoólica só até 20h. Com a capital na laranja, os bares estavam proibidos de funcionar com atendimento presencial e restaurantes tinham que fechar até as 20h. Ambos podem funcionar por dez horas diárias agora.

Segundo o Plano São Paulo, comércio e shoppings poderão funcionar por 12 horas (entre 6h e 22h) na fase amarela, enquanto na laranja os locais ficam abertos por oito horas (entre 6h e 20h). A nova reclassificação vale a partir de amanhã (6) em todo o estado.

Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico, lembrou algumas restrições que seguem valendo para bares e restaurantes na fase amarela.

É possível espalhar o funcionamento por 12 horas, das 6h até as 22h. Depois das 22h somente serviços essenciais. Alguns ambientes têm mais risco, então a venda de bebida alcoólica é permitida só até 20h. E consumo no local só para clientes sentados.
Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico

mapa - Reprodução - Reprodução
Mapa da reclassificação do Plano São Paulo que entra em vigor a partir de amanhã (6)
Imagem: Reprodução

Veja quais foram as regiões que mudaram de classificação

  • De laranja para amarela: Araçatuba, Baixada Santista, Campinas, Grande São Paulo, Presidente Prudente e Registro
  • De vermelha para laranja: Barretos, Marília, Ribeirão Preto e Taubaté
  • De laranja para vermelha: Araraquara

Nas últimas semanas, o governador de São Paulo, João Doria (PSBD), vinha sendo criticado por empresários por limitar novamente o funcionamento do comércio. No anúncio da reclassificação de hoje, o governo paulista justificou a progressão das regiões com base na melhora de índices mostrados durante a coletiva de imprensa realizada na capital.

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, afirmou que a ocupação média de leitos de UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) no estado diminuiu desde 21 de janeiro.

"A maior parte das regiões está evoluindo. Tínhamos em 21 de janeiro ocupação média de UTIs do estado em 71,6%. Agora chegamos a 67,2% na ocupação média. Uma evolução muito importante", afirmou.

Vinholi mostrou preocupação, porém, com três regiões, que seguem na fase vermelha. "Araraquara e Bauru, que seguiu aumentando ocupação. Era pouco superior a 80%, agora é perto de 90%. E Franca. Estamos trabalhando nessas regiões", disse.

Durante a semana, Doria e Vinholi trocaram críticas com a prefeita de Bauru, Suéllem Rosim (Patriota), que foi chamada de "vassala de Bolsonaro" pelo governador. Ela respondeu dizendo que está defendendo o município.

Medidas restritivas foram suspensas na quarta

A atualização anterior do Plano São Paulo havia sido feita há uma semana, em 29 de janeiro, mas desde lá o governo paulista já havia modificado as medidas restritivas adicionais anunciadas para tentar controlar, principalmente, a vida noturna no estado, tida como principal causadora da piora da pandemia.

Anteontem, a gestão de Doria suspendeu o fechamento de atividades não essenciais aos fins de semana, que na prática vigorou apenas nos dias 30 a 31 em todo o estado.

Apesar da evolução das regiões, as autoridades de Saúde paulistas reforçaram hoje que, a partir das 22h nas cidades que estão na fase amarela, segue valendo a permissão de funcionamento apenas para atividades essenciais.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado numa primeira versão deste texto, foram dez e não nove regiões que avançaram de fase no Plano São Paulo. O erro foi corrigido.

Coronavírus