PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
9 meses

Primeira fase vacina 4,5 milhões de pessoas, 2,16% da população

Mais de 4,5 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a covid-19 - Mauro Pimentel/AFP
Mais de 4,5 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a covid-19 Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/02/2021 20h06

Mais de 4,5 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a covid-19. Nesta quinta-feira (11), o Brasil chegou a um total de 4.584.338 pessoas que receberam doses contra a doença. Os números foram levantados pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nos dados informados pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 262.660 pessoas receberam a primeira dose da vacina. No total, 2,16% da população do país já participou desta etapa inicial.

A unidade da federação com maior percentual da população vacinada, até o momento, é o Amazonas (4,16%), seguida do Distrito Federal (3,60%) e de Roraima (3,26%).

Já a segunda dose foi aplicada em 28.228 pessoas de ontem para hoje, com um total de 108.735 imunizados nesta fase — o que equivale a 0,05% da população brasileira com vacinação completa contra o novo coronavírus.

Mato Grosso do Sul e Minas Gerais são os dois estados que registraram, até o momento, maior percentual de pessoas vacinadas com a segunda dose: 0,29% cada.

Anvisa promete liberar vacina da Pfizer em menos de 2 meses

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) comprometeu-se com um prazo "bem inferior" a dois meses para a autorização do uso em massa da vacina da Pfizer e da Biontech. Em entrevista ao UOL, o presidente do órgão, o médico e militar Antônio Barra Torres destacou que muitos documentos foram encaminhados com antecedência pelos laboratórios que desenvolvem imunizantes contra a covid-19.

A mesma velocidade está prevista para o registro definitivo — que permite o uso em massa, e não apenas em grupos prioritários — do imunizante da Fiocruz, produzido em parceria com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

Outra vacina cujo uso é discutido no Brasil, a Sputnik V, ainda é uma "incógnita". Originária da Rússia, tem como parceiro brasileiro o laboratório União Química.

A Pfizer e a Fiocruz fizeram o pedido de registro na Anvisa, mas o imunizante da Fundação Oswaldo Cruz já tem autorização de uso emergencial. A Pfizer anunciou que sua eficácia global seria de 95%, bem acima dos 50% exigidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Coronavírus