PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Lotado, hospital de Porto Alegre vai acomodar vítimas da covid em contêiner

"É um campo de guerra, uma situação calamitosa", disse o superintendente do Hospital Moinhos de Vento - Miguel Noronha/Agência F8/Estadão Conteúdo
"É um campo de guerra, uma situação calamitosa", disse o superintendente do Hospital Moinhos de Vento Imagem: Miguel Noronha/Agência F8/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

02/03/2021 16h38Atualizada em 02/03/2021 16h48

"Campo de guerra": este é o cenário no Hospital Moinhos de Vento, o maior da rede privada de Porto Alegre (RS), em meio à explosão de internações de pacientes com covid-19. Com o número de mortes também aumentando, a instituição vai contratar um contêiner para acomodar as vítimas da doença, segundo disse hoje o superintendente médico Luiz Antônio Nasi.

"A nossa lista da morgue ultrapassou ontem [1º] a capacidade de acomodar as pessoas que faleceram dentro do hospital. Estamos contratando um contêiner para poder colocar as vítimas. A rede pública também vive o mesmo drama da superlotação, da lotação das UTIs [Unidades de Terapia Intensiva]", relatou Nasi em entrevista à GloboNews.

Para o superintendente do hospital, a capital gaúcha está vivendo hoje o "apogeu da gravidade" da pandemia. No último ano, o hospital já atendeu mais de 7 mil infectados pelo coronavírus, mas o cenário atual é diferente: além de mais jovens, os pacientes também estão "muito mais graves".

"Se vocês entrassem e vissem, é um campo de guerra. Todo mundo sendo mobilizado no hospital, médicos, anestesistas, enfermeiros de todas as áreas. Nós estamos, realmente, em uma situação calamitosa", acrescentou.

O Hospital Moinho de Ventos é o que registra maior ocupação de leitos de UTI em Porto Alegre, de acordo com o sistema de monitoramento da prefeitura. Até esta manhã, a taxa era de 119,7%, com 79 pacientes para 66 leitos em operação. Do total de internados, 72 — ou 91,1% — são casos confirmados de covid-19.

Outros oito hospitais da capital gaúcha também estão com taxa de ocupação de UTIs em 100% ou mais. Depois de Moinhos, vêm o HCPA (Hospital de Clínicas de Porto Alegre), com 109,82%, e o Hospital Independência, 105%.

Com população de cerca de 1,5 milhão de habitantes, a capital gaúcha já soma 106.447 infectados pelo coronavírus desde o início da pandemia, ainda segundo a prefeitura. O número de mortos é de 2.418.

Coronavírus