PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
9 meses

São Paulo antecipa vacinação de idosos de 68 anos para sexta-feira

É prevista a vacinação de 340 mil pessoas nessa faixa etária - iStock
É prevista a vacinação de 340 mil pessoas nessa faixa etária Imagem: iStock

Lucas Borges Teixeira, Rafael Bragança e Rai Aquino

Do UOL e colaboração para o UOL, em São Paulo

31/03/2021 12h56

O governo de São Paulo anunciou hoje que vai antecipar a vacinação contra a covid-19 para idosos de 68 anos. Inicialmente agendada para a próxima segunda-feira (5), a nova faixa etária começará a ser imunizada três dias antes, nesta sexta-feira (2). Está prevista a imunização de 340 mil pessoas neste grupo.

A antecipação foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB), e já se tornou uma prática frequente da gestão paulista, sempre anunciada em coletivas no Palácio dos Bandeirantes. O início da vacinação para outras faixas etárias também teve a data alterada.

Apesar de determinar a data de início da imunização no estado, as prefeituras têm autonomia para definirem o próprio calendário de vacinação.

Nos últimos meses, a Prefeitura de São Paulo tem seguido o calendário estadual, assim como fez para a atual faixa etária que está sendo vacinada. Na última sexta-feira (26), a capital iniciou a imunização de idosos de 69 a 71 anos.

Campanha contra fome

Na coletiva de hoje, o governo também anunciou uma campanha contra fome, mas com a ajuda de quem se imunizar. A campanha "Vacina Contra a Fome" incentiva que pessoas aptas a se vacinarem doem um quilo de alimento não perecível nos municípios participantes —"preferencialmente arroz, feijão, macarrão e também leite em pó", segundo Doria.

O governo afirma que, até agora, dos 645 municípios do estado, 389 aderiram à campanha. A ideia é que as Prefeituras instalem pontos de arrecadação nos postos de vacinação contra covid. Os alimentos devem ser doados às famílias mais vulneráveis.

Avanço da pandemia

São Paulo atingiu ontem um novo recorde de mortes diárias causadas pelo coronavírus. Impulsionado por dados represados do final de semana, o estado registrou 1.209 óbitos em apenas 24 horas de pacientes com covid-19. Desde o início da pandemia, já são 73.492 mortes.

Há 17 dias na fase emergencial do Plano São Paulo —a mais restritiva até agora—, o estado tem recorde de pessoas internadas com a doença, sendo 12.946 delas em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva). Com isso, a ocupação dos leitos de terapia intensiva segue acima de 92% tanto no estado como na Grande São Paulo.

Em março, o estado quase dobrou o número de pacientes internados em UTIs. No fim de fevereiro, o número era de 6.772 segundo dados do governo paulista.

O número atual de internados é maior do que o total de leitos de UTI que São Paulo tinha no início de março. O estado passou a disponibilidade de leitos de 9.283 para 13.932 somando as redes pública e privada. A estratégia foi adotada como forma de tentar evitar a falta de assistência médica. Mesmo assim, há fila para leitos de terapia intensiva.

Coronavírus