PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
15 dias

Abstenção para tomar 2º dose da vacina é menor que 1,5 milhão, diz Conasems

Conselho de Secretarias Municipais de Saúde discorda do Ministério da Saúde e diz que número de pessoas atrasadas para receber segunda dose da vacina contra covid é "muito menor" do que 1,5 milhão - Cris Fraga/Estadão Conteúdo
Conselho de Secretarias Municipais de Saúde discorda do Ministério da Saúde e diz que número de pessoas atrasadas para receber segunda dose da vacina contra covid é "muito menor" do que 1,5 milhão Imagem: Cris Fraga/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

14/04/2021 15h24

O Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde) informou hoje que o número de pessoas que não tomou a segunda dose da vacina contra a covid-19 é "muito menor" do que 1,5 milhão de brasileiros, dado anunciado ontem pelo Ministério da Saúde.

A explicação é de que os municípios estão atrasando a inserção de dados no sistema do governo federal, que monitora quantas pessoas foram vacinadas. Em entrevista ao Jornal Hoje, o presidente do Conasems, Mauro Junqueira, reforçou que o número de brasileiros que não tomou a segunda dose não é de 1,5 milhão.

"Com certeza é muito menor do que isso. É lógico que num país continental, as pessoas, principalmente idosos, podem ter deixado de procurar. Aí o recado é: a vacina está disponível. É só procurar unidade onde você tomou a [primeira dose da] vacina".

Ontem, o Ministério da Saúde alertou que 1,5 milhão de pessoas deixaram de tomar a segunda dose da vacina contra covid-19 dentro do prazo previsto, colocando em risco a eficácia completa da imunização.

Até então, de acordo com o acompanhamento da Saúde, 21.203.805 milhões de pessoas haviam tomado a primeira dose de vacina, o equivalente 10% da população, mas apenas 6.411.521 receberam a segunda dose, o que representa 3% da população.

Ainda de acordo com a Saúde, o estado de São Paulo é o que teria mais doses atrasadas: 343.925. Mas, segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula, o número correto está em torno de 190 mil pessoas que não voltaram para a segunda dose.

"O município é o responsável pela busca de seus faltosos. Temos trabalhado de forma sistemática para que o estado de São Paulo não tenha mais esse gap [lacuna] para a segunda dose", disse ela em entrevista para o Jornal Hoje.

Saúde