PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
6 meses

Covid: Brasil aplica 1,7 milhão de doses de vacina em 24 h e bate recorde

Brasil distribuiu 1.744.001 de doses de vacina contra covid-19 nas últimas 24 horas e bateu recorde - IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO
Brasil distribuiu 1.744.001 de doses de vacina contra covid-19 nas últimas 24 horas e bateu recorde Imagem: IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/04/2021 20h10Atualizada em 23/04/2021 20h45

Nesta sexta-feira (23), o Brasil registrou o recorde de doses aplicadas de vacina contra a covid-19 em um intervalo de 24 horas. No total, foram 1.744.001 doses distribuídas entre ontem e hoje no país. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Os números podem ser explicados pelo represamento de dados ocorrido nos últimos dias em alguns estados. Houve instabilidade no registro de informações sobre a vacinação no sistema do Ministério da Saúde.

O país superou a marca de 28,7 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19. No total, 28.765.257 brasileiros receberam pelo menos uma dose de imunizante contra a doença, o que equivale a 13,58% da população nacional.

Nas últimas 24 horas, a primeira dose de vacina foi aplicada em 820.105 pessoas em todo o país. Outras 923.896 receberam a segunda dose no mesmo período.

Até aqui, 12.262.262 brasileiros receberam as duas doses de imunizante, seguindo o recomendado pelos laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca. O número corresponde a somente 5,79% da população nacional.

O estado que proporcionalmente mais vacinou seus habitantes com a primeira dose é o Rio Grande do Sul: 18,11% de sua população.

Em termos percentuais, o estado de São Paulo lidera entre aqueles que mais aplicaram a segunda dose: 8,01% de seus habitantes.

STF dá 30 dias para Anvisa decidir sobre pedido da Sputnik por CE, AP e PI

O STF (Supremo Tribunal Federal), por meio de decisão do ministro Ricardo Lewandowski, estipulou o prazo de 30 dias para que a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) decida sobre o pedido de importação da Sputnik V, a vacina russa contra covid-19, pelos estados do Ceará, Amapá e Piauí.

Ainda de acordo com o ministro, ultrapassado o prazo, os governos estaduais poderão comprar e distribuir o imunizante à população local. A decisão de Lewandowski irá a referendo do plenário da Corte.

A determinação confere o prazo para que a Anvisa decida sobre a importação excepcional e temporária do imunizante nos termos do artigo 16, parágrafo 4º, da Lei 14.124/2021, que trata das medidas relativas à aquisição de vacinas e de insumos contra a covid-19.

Ultrapassado o prazo, os estados estarão autorizados a comprar e distribuir o imunizante à população local, sob suas exclusivas responsabilidades, e desde que observadas as cautelas e recomendações do fabricante e das autoridades médicas.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!

Coronavírus